DEBATE ENTRE O ESCRITOR JOSÉ REIS CHAVES, AUTOR DO LIVRO : A REENCARNAÇÃO SEGUNDO A BÍBLIA E A CIÊNCIA, EDITORA MARTIN CLARET E O PADRE QUEVEDO, EM NOVEMBRO-DEZEMBRO/97 :


Este Livro, A Reencarnação Segundo a Bíblia e a Ciência, demonstra que a Reencarnação é uma realidade Histórica, Bíblica e Científica. O Escritor J.R. Chaves recebeu várias menções, de pessoas e de Instituições idôneas ligadas à mídia, as quais conferiram distinção e destacaram qualidades de sua Obra, que de um modo geral é vista sob um prisma ecumênico, com respaldo Bíblico, Científico, Filosófico e Cristão.

DADOS DO ESCRITOR J.R. CHAVES :

José Reis Chaves Belo Horizonte - MG, e-mail : escritorchaves@ig.com.br

TelFax (31) 3373-687O

* Escritor, palestrante, parapsicólogo, radialista, ex-seminarista Redentorista e professor de Português e Literatura. Formado pela PUC-MG, e autor dos livros: "A Reencarnação Segundo a Bíblia e a Ciência" ( adotado para trabalho pela PUC-RS ), "A Face Oculta das Religiões" ( adotado pela USP ) e o lançado recentemente "Quando Chega a Verdade", todos da Ed. Martin Claret, SP.


O Escritor J.R Chaves possui artigos relativos ao Cristianismo, Bíblia, questões relativas à fé e assuntos correlatos, publicado no Site :

Portal do Espírito - FEESP



O Livro "A Reencarnação segundo a Bíblia e a Ciência" foi enviado ao Padre Quevedo, por um amigo do Escritor, o Sr. Rosário Américo de Resende, da UFMG - Universidade Federal de Minas Gerais.

A intenção talvez, tenha sido de tentar abrir a visão estreita do Pe. Quevedo sobre a pluralidade das existências, a qual possui respaldo da Ciência e da Bíblia. Basta que saibamos interpretar bem, tanto as Sagradas Escrituras, quanto os princípios que regem a interatividade da matéria e dos seres vivos, visando compreender a natureza e as atividades humanas.

A reação raivosa, mal-educada e grosseira desse Padre, infelizmente, era previsível. Como poderíamos esperar bom senso de um indivíduo que se julga dono da verdade, é preconceituoso, intolerante e parcial em seus julgamentos ? E o que poderíamos esperar de um Padre que mente ao dizer que os seus Livros foram, pela Fundação Internacional de Parapsicologia, de Nova York (Dr. Weiant) e pela Sociedade de Investigação Parapsicológica, de Londres (Dr. Zorab), considerados os melhores Livros de Parapsicologia do mundo ? Os Diretores dessas Instituições NEGAM radicalmente tal afirmação.

Tratadistas como Gillispie (1958), Russel (1930) e White (1896) enfatizaram que a história da ciência conta com inúmeros exemplos de como uma ideologia religiosa implacável e apaixonada ( como a do Sr. Quevedo ) costuma ser incompatível com o espírito científico. Na ciência, as conclusões costumam exporem-se como tentativa e sempre tendo em conta a falibilidade, a qual Popper (1962), tanto enfatizou. Para o Pe. Quevedo, no entanto, a ordem do dia são as declarações categóricas, a formulação de "leis" arbitrárias e a impaciência e o desdém ante autores e investigadores que defendem posturas diferentes. É óbvio que seu proceder o separa do campo da Parapsicologia científica.

Quevedo não disfarça seus fortes preconceitos ideológicos e teóricos, os quais evidentemente guardam certo compromisso com determinadas doutrinas da Igreja Católica. Portanto, há justificativa suficiente para rotular o Pe.Quevedo não como parapsicólogo, mas sim como um autor proselitista que deseja impulsionar, de maneira desmedida, a sua ideologia católica.

Isto que assinalamos também tem sido notado por outros autores. Por exemplo, Hess (1987) indicou recentemente que " Oscar Gonzalez Quevedo reinterpretou a Parapsicologia dos Estados Unidos e da Europa à luz da doutrina da Igreja Católica ... para obstaculizar as bases científicas do Espiritismo."

Enfim, o Padre Quevedo deveria ser intitulado como um "Parapsicólogo Católico", pois estranhamente, muitas das suas teorias parapsicológicas coincidem com os Dogmas da sua Igreja.

Vamos as cartas. Começaremos pela Carta do Sr. Quevedo, enviada ao Escritor J.R. Chaves. Observem a maneira incívil, com a qual o Pe. Quevedo inicia sua mensagem, em 14 de novembro de 1997 ( Houve algumas OBS numeradas de 1 a 5, da minha parte, ao longo desta carta, em formato itálico e negrito ) :


ABRE ASPAS :


Carta aberta a um Autor falsário



Recebi como presente - na realidade lamentável propaganda - um Livro detestável ao máximo, porque evidentemente é uma sarta contínua das mais abjetas calúnias e deturpações.


I - ORELHA E CONTRACAPA

Somente umas poucas verdades e "meias verdades" colocadas na contracapa e na orelha :

1) O autor "é formado em comunicação e Expressão pela PUC-MG". Suponho que seja verdade.

2) "Estudou para Padre", meia verdade ....
--- Não é possível duvidar da má intenção com que isto é publicado na capa. Para enganar aos leitores de boa fé e despreparados. Assim estes pensarão que a Igreja e a Universidade Católica aceitam o conteúdo desse Livro horroroso.
--- Sem dúvidas muito pouco estudou da Filosofia e Teologia relacionadas com o tema de que escreve..., ou nada aprendeu no Seminário, que abandonou.

3) E ainda se acrescenta na propaganda tendenciosa, que "este Livro foi adotado pelo PUC-RS para estudo".
--- Em denigrante tergiversação, pretende-se fazer acreditar que a Universidade Católica gaúcha aceita as falsidades e soezes calúnias ininterruptamente apresentadas no livro. Mesmo que a universidade gaúcha tivesse adquirido esse horrível libelo para estudo, não significaria que o aprove! Para criticar e refutar um livro há que conhecê-lo! Então os teólogos que estudam os livros dos maiores hereges, estariam aceitando as maiores heresias?!, como a que propaga este falsário...

4) "Lecionou Português, Latim e História".
--- Português, Latim e História nada têm a ver com Filosofia, Teologia e Parapsicologia que deveria conhecer, especificamente no tema de que escreve com tão absoluta falta de conhecimento.

5) Afirma que seu robe(?!) sempre foi estudar parapsicologia..."

OBS 1: Nos originais do Livro (Pág.21), o termo está grafado como hobby, e não como robe, conforme escreve o Pe. Quevedo.

6) "...e espiritualismo".
--- Espiritualismo e Parapsicologia não grudam, é completa contradição!
--- Estudou Espiritismo! Tire esse covarde disfarce de que estudou Espiritualismo, como se o Espiritismo fosse compatível com o Espiritualismo das religiões cristãs.

7) "O autor é um teósofo católico".
--- Ora, ou teósofo ou católico. As duas coisas é contradição. Teósofo e espírita, é verdade que é. Católico certamente não, pela global heresia que apresenta neste livro, plenamente contra toda a doutrina cristã.


II - AINDA NA CONTRACAPA

E acabaram as verdades. Tudo o mais que se afirma no hediondo libelo são mentiras, tergiversações, afirmações descabidas sem nem sombra de prova, e calúnias as mais baixas.

1) "(O autor é...) pesquisador de religiões".
--- Mentira. E que formado em Comunicação..., tem preparo para isso? Estudou por conta, sem preparação nenhuma, o Espiritismo, Teosofismo, Esoterismo..., que não são religiões. De Religião mostra com absoluta claridade que não manja praticamente nada. Ou mostra abertamente sua má intenção, porque não pode ser tão profundamente ignorante precisamente do tema de que escreve. Ou é completamente míope intelectualmente, olhando só de um ângulo absolutamente deturpante.

2) "Deu um mergulho fundo na Bíblia e na História do Cristianismo".
--- Pulou miopemente no mais nojento chiqueiro dos escritores mais fanaticamente supersticiosos e mais desleais, tão à margem da Bíblia e da História do Cristianismo, que suas afirmações resultaram as mais grosseiras calúnias.


III - NO PRÓLOGO

E o autor, entre a multidão de espíritas, teósofos, ocultistas... aos que envia seu libelo, tem a desfaçatez de enviá-lo também ao Pe. Provincial dos Redentoristas, a outro Padre doutor em Teologia, a mim (também doutor em Teologia, e em Parapsicologia), e... nada menos que ao Cardeal-Arcebispo do Rio de Janeiro!
Dom Eugênio teve a delicadeza de responder e o autor teve a ousadia desvergonhada de publicar:
"...A obra foi devidamente examinada... Há uma clara oposição entre a reencarnação e o ensinamento do Evangelho. Apesar da divergência evidentemente, respeito sua opinião... Com minhas orações, (assinado) Cardeal Eugênio Araújo Sales, Arcebispo do Rio de Janeiro".


IV - NOVO TESTAMENTO

Uma olhada no índice, e no texto correspondente. Tudo, absolutamente tudo, responde a abertas mentiras. Evidentemente o autor simplesmente foi recolhendo, nos autores mais tendenciosos e desavergonhados de ontem, todas as calúnias, repetidas sonsamente por alguns espíritas, teósofos, esotéricos... mais fanáticos de hoje. De pesquisa nas fontes e de análise com conhecimento da realidade, e de Filosofia, Teologia e Parapsicologia, nada, absolutamente puro desconhecimento.

Alguns exemplos, entre os mais breves e que nos interessam mais intimamente por serem dos Evangelhos e dos Padres da Igreja. Para uma refutação completa o CLAP, fone (011) 577.9451, Fax (011) 276.7942, pode recomendar, a quem os solicitar, ótimos livros.


1) Invoca como prova da reencarnação o episódio da "cura de um cego de nascença" (Jo 9,1-3) : "Rabi, quem pecou, ele ou seus pais para que nascesse cego ?".
Respondo. Não fosse má intenção implicaria ignorância supina invocar esse texto:
--- Alguns judeus perguntaram coisas próprias de pessoas simples, como o casamento após a ressurreição! (Mt 22,23-30).
--- Pensando que Deus castigava normalmente os pecados na vida de cada um, daí a dificuldade em compreender como castigo se ele já nascera cego. Para solução, como pessoas simples tomavam ao pé da letra Números 14,33 : "Os filhos redimem os pecados dos pais" e Deuteronômio 5,9: "Castigo nos filhos a iniquidade dos pais".
--- Mas só em plena imbecilidade como a do autor pode considerar-se um filho reencarnação do próprio pai!

OBS 2 : OU o Pe. Quevedo OU os seus assessores cometeram um erro crasso nesta análise. O Escritor Chaves não disse, em hipótese nenhuma, que um filho poderia ser a reencarnação do próprio Pai. O que foi dito no Livro (Pag.72 e 73), refere-se basicamente à terceira e quarta gerações, nas quais o indivíduo poderia resgatar suas dívidas. Depreende-se desse fato, a total imbecilidade do Padre Quevedo, o qual nem ao menos demonstra capacidade para uma simples análise crítica.


--- E bem claramente respondeu o divino Mestre: ("Para que nascesse cego") "não pecaram nem ele nem seus pais, mas é para que nele se manifestem os sinais de Deus".

2) João Batista "irá diante Dele (Jesus) com o espírito e poder de Elias" (Lc 1,17). "Elias já veio" (Mt 11,14). O falsário autor com estes textos pretende provar que muitos judeus consideravam João Batista reencarnação de Elias e que portanto, os Evangelhos pregam a reencarnação !
Respondo. Quanta ignorância ou desfaçatez!:
--- Muitíssimos judeus pensavam que Elias não tinha morrido, senão que haveria sido arrebatado ao Céu num Carro de Fogo. E esperavam que voltaria na época messiânica. Aos absurdos do conceito da reencarnação, acrescentar-se-ia mais outro absurdo: Dificilmente poderia "reencarnar" se ainda não havia "desencarnado"!

OBS 3 : 2 Reis 2.1 - 15 : "...Indo Eles andando e falando, eis que um Carro de Fogo, com cavalos de fogo, os separou um do outro; e Elias subiu ao céu num redemoinho."

Com isso, afirma-se que Elias não teria morrido ! Ele foi levado ao céu ainda vivo. Bem, usaremos um raciocínio bem acessível aos Católicos/Evangélicos : Será que Deus abriu uma exceção ( além de Cristo, é claro ) para que um Espírito levasse seu "corpo de carne" para o céu, antes do chamado "Juízo Final", tão proclamado pelas Religiões Ortodoxas ???


Mas como alguém poderia ter subido aos céus ??? Vejam o que diz :

João. 3:13 - "Ninguém subiu ao céu, a não ser aquele que desceu do céu : o filho do homem"

Além disso, se Elias realmente subiu aos céus, como esse mesmo Profeta escreve uma carta depois de ser arrebatado ( 2 Cr 21:12 ) ??? Consoante a sequência dos fatos narrados na Bíblia, essa passagem veio depois do arrebatamento. Ou seja, de acordo com a cronologia de 2Rs, Elias tinha desaparecido ( arrebatado aos Céus ) antes do reinado de Jorão de Israel (2Rs 2; 3,1) e, portanto, antes de Jorão de Judá. ( 2Rs 8,16; confronte com 2Rs 1,17 ).

Então, Elias, depois de ter subido aos céus, enviou uma carta a Jorão, filho e sucessor de Josafá, de Judá ??? !!!

Será que lá no Céu existe anjos carteiros que entregam missivas aqui na terra ??? Veja :


2 Cr 21:12 - "Então chegou às suas mãos um escrito do profeta Elias nestes termos: "Assim falou o Senhor , o Deus de teu pai Davi: Visto que não seguiste o exemplo de teu pai Josafá, e o exemplo de Asa, rei de Judá ..."


Além disso, na Trasfiguração de Jesus ( S.Mateus 17: 1-3 ) fica claro a aparição do Espírito de Elias :

"...Seis dias depois, Jesus tomou consigo a Pedro, Tiago e seu irmão João, e os levou a um lugar à parte, sobre um alto monte. Transfigurou-se diante deles seu rosto brilhava como o sol e sua roupa tornou-se branca como a luz. Então lhes apareceram Moisés e Elias, conversando com ele..."

Elias, em algum momento, teria de fato morrido, senão a sua Alma (Espírito) não poderia aparecer para Jesus, na Transfiguração.


--- Este foi o testemunho de João, quando os judeus enviaram de Jerusalém sacerdotes e levitas para o interrogarem: Quem és tu? (...), és tu Elias?. Disse ele: Não o sou" (Jo 1,19-21).
--- E os caluniadores ainda têm a pretensão de safar-se dizendo que João Batista disse "não o sou" por ter entendido "Helios", em grego: Não sou o sol! Caluniam aquele homem tão amigo da verdade, até a morte, como fazedor de subterfúgio com jogo de palavras. E os judeus de repente haveriam deixado de referir-se a Hélios para claramente referir-se a Elias: "Por que então batizas se não és Cristo, nem Elias ?"
--- Elias reencarnado em João Batista depois voltaria atrás para aparecer como o velho Elias na Transfiguração de Jesus no Tabor!

OBS 4 : Com relação a aparência de Elias na Transfiguração, a Doutrina de Kardec nos ensina que o Espírito, via de regra, mantém, durante a erraticidade, a mesma aparência da última encarnação. Mas, NADA IMPEDE que ele tome a aparência de outras existências já vividas aqui na Terra. Mais uma vez esse Padre, que nada entende de Espiritismo, quer, através de sofismas, desorientar os incautos.


3) "Quem dizem os homens sero o filho do Homem ? Disseram : Uns afirmam que é João Batista, outros que é Elias" (Mt 16,13s). O autor interpreta esse texto como prova de que Jesus era a reencarnação de Elias e de João Batista, e de que a crença reencarnacionista era comum entre os judeus.
Respondo : è o cúmulo da ignorância...,e das asneiras :
---Reencarnação de Elias que não haveria "desencarnado"?
---Após o batismo de Jesus por João (Mt 3,13-17par), haveriam trocado mutuamente os espíritos de Jesus e de João: Já adultos, numa recíproca reencarnação ?
---E após a morte de João Batista, Jesus haveria perdido seu espírito, que era de João!, e reencarnaria, de novo!, o de João ?

OBS 5 : Em nenhum momento o Escritor deixou transparecer que Jesus fosse a Reencarnação de Elias ou João Batista. Na Pág.67, é demonstrado tão somente a crença dos antigos Judeus na pluralidade das existências. Eles achavam que Jesus poderia ser um dos antigos profetas. O Pe. Quevedo com essas palavras, expressa inequivocamente sua vontade incontida de misturar desordenadamente os princípios básicos da reencarnação, o que demonstra a sua total ignorância quanto à Doutrina de Kardec.

etc, etc


V - PADRES DA IGREJA

O denigrante autor e os denigrantes "mestres" em que ele foi se enlamear, na sua total ignorância ou má intenção, quando de alguma maneira se inteiram de que algum santo padre falou da reencarnação, já o arrolam como defensor, sem se tomar e elemental dever de verificar se não será, como de fato é, para condená-la. Coitados dos cegos reencarnacionistas que se deixam guiar por tais cegos ou mal intencionados. Padres citados :

1) São Clemente de Alexandria
2) Orígenes
3) Santo Agostinho
4) São Jerônimo
5) São Gregório de Nilza
6) São Clemente


Em resumo : Toda a Doutrina dos Santos Padres, toda doutrina católica, é inconciliável e meridianamente oposta à reencarnação. O autor desse libelo não pode ser tão ignorante, é portanto reles e vil caluniador.

Etc, etc


VI - Página por página, parágrafo por parágrafo, o livro do renegado José dos Reis Chaves é um contínuo acúmulo de soezes mentiras, calúnias desavergonhadas, erros descomunais...
O livro leva o enganoso título: "A Reencarnação segundo a Bíblia e a Ciência". De "Ciência", absolutamente nada. De "Bíblia", diametralmente o oposto.
É impossível que o autor possa ser sincero. Ou então é, ao menos nesta sua mania localizada, louco varrido, parafrênico. Sendo contínuas as calúnias e falsidades evidentes, pareceria que é só má vontade. Mas frequentemente encontram-se "saladas" como esta, escolhida quase ao acaso:

"O estudo esotérico da Bíblia, também chamado de psicológico, consiste justamente nisso. Temos que ver o que está nas entrelinhas, o que é exotérico e o que é esotérico, o que é evidente e o que é oculto, e o que é explícito e o que é implícito: Aliás São Paulo nos adverte, já vimos, para que não nos prendamos à letra das Escrituras, mas ao espírito da letra, classificando esta até de assassina.

E se existe a possibilidade de alterações em alguns textos bíblicos, devemos ter mais precauções, ainda, para que a mensagem bíblica seja autêntica para nós. O próprio Jesus também nos aconselhou que examinássemos as Escrituras. E é interessante observarmos que Jung fez um interessante estudo psicológico de algumas partes da Bíblia, descobrindo coisas interessantes, com o seu talento de gênio ". (pág.73)

---Perante semelhantes misturas e deturpações, perante salada tão indigesta como a que acabamos de transcrever, nenhum psiquiatra duvidará que se trata do linguajar de um deliróide paranóico...
E há tanta gente que difunde e faz propaganda desse livro nojento...!

Pe. Oscar Quevedo S.J.
CENTRO LATINO AMERICANO DE PARAPSICOLOGIA (CLAP)

FECHA ASPAS.


O original está com comigo. Corrigi a ortografia de algumas palavras. O meu objetivo é auxiliar na compreensão e divulgação da Verdade ...

Rosário Américo de Resende



INICIALMENTE, COLOCAREMOS A RESPOSTA DADA PELO PROFESSOR DA UFMG, ROSÁRIO AMÉRICO DE RESENDE, O QUAL ENVIOU O LIVRO EM QUESTÃO, PARA O PADRE QUEVEDO :


ABRE ASPAS :


Belo horizonte, 04 de dezembro de 1997.

Caro amigo e companheiro em Cristo, Padre Oscar Gonzales Quevedo.

Muita paz, é o que lhe desejo. Que a sabedoria do Espírito Santo de Deus nos ajudem a encontrar realmente a verdade que liberta, a entender e compreender os mistérios da vida, a saber quem realmente somos e a descobrir como age o "inconsciente individual e o coletivo".

Só existe mistério por causa da ignorância e do orgulho dos sábios, que ainda não conquistaram a sabedoria.

Só podemos falar daquilo que sabemos e dar testemunho daquilo que vemos (Jo 3,11).

Recebi sua "Carta aberta a um Autor Falsário" e como lhe enviei o "grande livro" : " A Reencarnação Segundo a Bíblia e a Ciência ", também me julguei com a responsabilidade de lhe enviar essa resposta. Isto tudo é em nome de uma "VERDADE MAIOR", que precisa ser revelada e compreendida.

Primeiro digo que li o " importante e profundo livro", que o Senhor, Padre Oscar G. Quevedo, deprecia e difama do princípio ao fim de sua carta. Esta sim, parece ter vindo de alguém que necessita do auxílio de um psiquiatra e/ou analista, pois o seu autor parece até um possesso cheio de ira, ódio e vontade de destruir...

Pela sua carta, que nem assinada foi, e então não se pode provar que seja autenticamente sua, posso concluir que o senhor não é um discípulo verdadeiro de Jesus. O senhor é um membro da ala radical e trevosa da nossa Igreja Católica Romana, que durante muitos séculos não permitiu que ninguém pensasse ou acreditasse diferente de seus principais líderes, desde que o "catolicismo" tornou-se a religião oficial do Império Romano com Constantino, por isso denominou-se "romano", até o fim da trevosa instituição, que foi a famigerada Inquisição. Todas as polícias secretas do século XX perdem feio para a "Santa Inquisição", pois esta cometeu crimes inafiançáveis perante a justiça perfeita ou divina, e ainda diziam que era para proteger o Evangelho e salvar as almas.

A tirania e o terror da fé fizeram muitas vítimas e péssimos cristãos, pois a muitos exércitos derrotados eram permitidos a escolha entre o batismo católico ou a morte pela espada e assim as fileiras do catolicismo cresceram muito, mas sem nenhuma qualidade como nos primeiros séculos do cristianismo recém-nascido e perseguido.

Durante a Inquisição, muitos grandes pensadores, filósofos e corajosos pregadores foram perseguidos, presos, torturados e condenados à fogueira, só porque pensavam e tinham idéias diferentes das da "Cúpula da Igreja". Entre muitos milhares, basta citar : Giordano Bruno, Jan Huss, Jerônimo de Praga, Savanarola, Santa Joana D'Arc e John Wiclife, que foi queimado após 44 anos de sua morte.

Também outros foram presos nos próprios conventos. As cruzadas contra os muçulmanos e contra os albigenses não foram, nem são atos cristãos e nem conforme os ensinamentos de Jesus, mas foram apoiadas e até conclamadas pelos Papas, que se tornaram infalíveis em 1870.

Digo e afirmo que o senhor não é um discípulo de Jesus, porque em sua carta se nega e contradiz os ensinamentos de Jesus, que nos proibiu de chamar alguém de "raca, cretino ou louco" (Mt 5,22) ; que nos ensinou a amar e orar pelos nossos inimigos, e por quem nos perseguem (Mt 5,44) ; que nos ensinou a reconciliar com o nosso próximo enquanto estamos com ele no caminho (Mt 5,24 e 25) ; que nos mandou amar uns aos outros, como ele nos amou (Jo 15,12 e 17) ; que nos ensinou a buscar a ovelha perdida (Mt 18,12) e a procurar a dracma perdida (Lc 15,8 a 10) ; que nos pediu para perdoar setenta e sete vezes (Mt 18,22). Nada disto vi em sua carta. Vi apenas o ímpeto, a fúria e a vontade de massacrar, denegrir e destruir a um irmão, pois todos somos filhos de Deus-Pai-Mãe ( o Papa João Paulo I nos ensinou a chamar "Deus" também de Mãe ).

Este nosso irmão, o José dos Reis Chaves, está dando uma grande contribuição para com o encontro e a divulgação da verdade, que liberta e nos conduz ao amor eterno.

Jesus deixou claro que não nos ensinou tudo, mas com a vinda do consolador, tudo seria esclarecido (Jo 16,12 a 15) e isso aconteceu para os primeiros discípulos no Pentecostes (At 2,1 a 41) e para São Paulo no caminho de Damasco (At 9,1 a 30). Pouquíssimos "cristãos católicos", hoje em dia, têm o seu Pentecostes, por ignorância e culpa da nossa própria igreja Católica Apostólica Romana", que nos proíbe de "pensar no já pensado e pensar diferente".

Tive o meu "Pentecostes" ou o renascimento de um ser adulto (Jo 3,3) no início de 1980. Tornei-me reencarnacionista no dia 05/01/1980 e então passei a ser um autodidata sobre a mente humana consciente e incosciente. Descobri quem realmente sou, consegui me compreender e a entender melhor a cada ser humano. Passei a ter vida em plenitude e a ser um habitante do "Reino dos Céus".

Descobri na década de 80 a minha missão a ser cumprida aqui na Terra e com total apoio do Espírito Santo estou fazendo a minha parte. O meu incosciente individual tornou-se, em parte, consciente e passei a entender também o meu inconsciente coletivo. Já escrevi para teólogos, Padres, Bispos, dois Cardeais e até para o Papa João Paulo II, defendendo a reencarnação e a mediunidade, que é o mesmo profetismo bíblico na atualidade.

Temos que respeitar e aceitar a liberdade de Deus em dirigir a caminhada histórica e evolutiva da humanidade. Realmente Deus dirige plenamente tudo, mas respeita plena e totalmente a liberdade de todos nós e por isso Ele é Deus. Só quando o Profeta está preparado e com o caminho aberto é que Deus se aproxima para continuar a sua eterna revelação à humanidade.

Também já defendi a reencarnação e a mediunidade em confissões e conversas com Padres e Bispos. Vou citar algumas :

- "Você sabia que sempre podia contar comigo (1983). "A nossa posição perante Você, Rosário, é ficarmos calados, pois aquilo que é, é. Não é a roupa que interessa, e o que Deus planejou, acontecerá. Mesmo que muitos ajam contrariamente ao projeto de Deus". (1996, de meu ex-Padre Mestre, quando fui noviço).

- "Vou lhe dar um conselho : Continue nesses estudos e pesquisas para Você ter idéias claras, pois a Igreja não sabe o que ensina para a gente" ( 1987, de um Frei Capuchinho, no confessionário ).

Outros trechos escritos em cartas para mim, também por Padres :

- "Claro que não podemos negar os fatos. A gente sente Você plenamente normal" (1991)

- "Sei que Você está elaborando uma sínterecese de pensamento grandioso e universal (1992)

- "A sua carta revela grande manuseio e conhecimento da Escritura. Hoje ela é um mundo de pesquisas e descobertas" (1993)

- "Não vou argumentar nada com Você para não profanar o grande segredo, a grande revelação. Você põe a coisa num nível e numa forma, que vão além de qualquer comentário, no nível das idéias e pesquisas" (1993)


Muitas verdades foram renegadas no Ocidente durante séculos por causa da tirania da fé e da crença. Veja o caso de Galileu Galilei que teve de se retratar de sua descoberta e crença no sistema heliocêntrico para não ser queimado vivo. Galileu retratou-se porque ele não era religioso, a religião nos coloca "fanáticos, cegos e cabeçudos".

Só agora no século XX, a Igreja reconheceu o seu próprio erro e pediu perdão ao grande mestre Galileu. Ele deve ter perdoado a grande injustiça que sofreu !

Outras verdades foram consideradas heresias e/ou não foram descobertas porque não havia liberdade de pensamento. Era só pensar diferente da cúpula eclesiástica e vinha a excomunhão como castigo, muita tortura e até fogueira.

Aqueles que pensaram igual aos líderes da Igreja C.A.R foram vangloriados e bajulados, muitos foram até canonizados após a morte : Era a entronização final no altar. Por outro lado, quem pensasse diferente era excomungado, preso, torturado e até queimado vivo.

Não consigo ver nada disto no Evangelho de Jesus, cujo principal ensinamento é o AMOR. Então quem assim agiu e age não pode ser chamado de discípulo verdadeiro de Jesus ou verdadeiro Cristão, mas sim membro de uma instituição organizada por homens, que muitas vezes esqueceram-se de Jesus e dos primeiros Cristãos.

A verdade nunca pode ser propriedade de ninguém e de nenhum grupo ou Igreja. Jesus ensinou que haverá um só Pastor e um só rebanho.

Deus não instituiu uma organização para representá-Lo na Terra, mas os organizadores e líderes das organizações são que se dizem e se intitulam como os únicos representantes de Deus. As organizações só aceitam como seus dirigentes aqueles que seguiram e seguem obedientes e cegamente a seus preceitos. Elas têm medo de que alguém pense no já pensado e descubra os seus calcanhares de Aquiles.

A revelação de Deus a nós não se limitou a um espaço finito de tempo, mas este tempo é infinito. A medida que chega a hora e surge alguém com predicados necessários e conquistados, então "Deus", livre e pacificamente aparece, e vai se auto-revelando, orientando e ajudando na divulgação das "verdades reveladas". Assim é a nossa evolução, que é a nossa eterna busca e vivência da perfeição ou da nossa salvação.

Um dos maiores erros cometidos pelo orgulho do ser humano foi a instituição dos "dogmas" e o maior deles foi o dogma da Infabilidade do Papa. Se os Papas fossem infalíveis, não poderia ter havido a possibilidade de que eles agissem ou permitissem a ação contra os ensinamentos de Jesus e contra o mandamento "Não Matarás".

Como puderam os homens-Papas infalíveis terem cometido erros tão perversos e claros assim ? Ou será que a Lei só vale para os outros ? Jesus ensinou : "Fazem o que eles dizem, mas não fazem o que eles fazem".

Mas a verdadeira elite dos cristãos na Igreja também sempre existiu, existe e existirá. Podemos citar os seguintes membros: Madre Tereza de Calcutá, Irmã Dulce de Salvador, São João Maria Vianney, São Vicente de Paula, Santa Tereza d'Ávila, São João de Deus, Santa Joana d'Arc, Santa Clara, São Francisco de Assis, São Francisco Xavier e muitos outros. A existência destes prova que Deus-Pai-Mãe está sempre no leme dirigindo a caminhada evolutiva da humanidade, repeitando plenamente a liberdade de todos.

Para finalizar, digo ainda que todos os Padres da Igreja, citados em sua carta, que condenavam a idéia da volta do espírito à carne e o que eles realmente condenavam era a "metempsicose" ( obs : metempsicose é uma doutrina segundo a qual uma mesma alma pode animar sucessivamente corpos diversos, homens, animais ou vegetais - destaque nosso ), que era a idéia dos filósofos gregos. Esta doutrina eu também condeno, pois a metempsicose é uma idéia contrária a evolução e ao ensinamento : "Portanto, deveis ser perfeitos como o vosso Pai celeste é perfeito" (Mt 5,48). Já a doutrina atual da reencarnação é evolutiva e ela explica perfeitamente todos os dramas e tudo da vida de cada ser humano, como também esclarece os mistérios inexplicáveis pela nossa doutrina católica existente.

Como já disse : A "Verdade" não é patrimônio ou propriedade de ninguém e quem dirige a sua revelação, descoberta e divulgação é o próprio Deus. Estas revelações vêm de todos os cantos. Veja os Livros do psiquiatra norte-americano Brian L. Weiss, principalmente "A cura Através da Terapia de Vidas Passadas".

Na década de 80, quando li os seus livros, citados na dedicatória do livro do José dos Reis Chaves, concluí que o senhor, Padre Quevedo, é um grande estudioso e conhecedor da mente consciente, mas também fica muito claro que existe um grande vazio e um completo desconhecimento sobre o que é o "inconsciente", seja ele individual ou coletivo.

Pelos seus livros fica provado que a carta, que estou respondendo, é realmente sua, pois também neles se encontram termos não elogiosos a todos os médiuns espíritas. Nos seus livros se afirma que tudo que os médiuns fazem é fraude, enganação e charlatanismo. O senhor até conta que fez curso superior de mágica para executar os mesmos que os médiuns fazem e assim desmascará-los.

Como o senhor é uma grande conhecedor da mente consciente, já deve ter entendido e compreendido que sou um médium católico (um Profeta da atualidade) e da paz. Isto revelei para o Papa João Paulo II, em uma carta secreta. Se outro leu esta minha carta e se não chegou ao conhecimento da Sua Santidade, não é problema meu.

Vou lhe enviar algumas cartas, já que escrevi e enviei para teólogos católicos. Tudo para que a Verdade seja compreendida e divulgada. Os trabalhos anexados são :

- "Você Sabe quem é Você ? ...E se Auto-Conhece ?...".
- "O Mistério, A Verdade e a Visão Cósmica da Vida".
- "O Relacionamento entre Encarnado...E Desencarnado".
- "Cartas de 28/06/1992 e de 02/01/1994".


Desejo-lhe muita paz e liberdade de pensamento para que encontre realmente a verdade que liberta. Mas sei também que a sua hora certa só o Pai sabe.

Um abraço fraternal de um irmão em Cristo ...


Rosário Américo de Resende


FECHA ASPAS.


AGORA, SEGUE A RESPOSTA DADA PELO ESCRITOR JOSÉ REIS CHAVES, AO SR. QUEVEDO :


ABRE ASPAS :


Belo Horizonte, 17 de Novembro de 1997


Prezado Sr. Pe. Oscar G. Quevedo,
Ref. Livro "A Reencarnação Segundo a Bíblia e a Ciência".
Recebi hoje a sua carta, sem data, com o cabeçalho :


CARTA ABERTA A UM AUTOR FALSÁRIO



Primeiramente quero dizer-lhe que não tenho nenhuma culpa por alguém lhe ter dado de presente o meu livro em epígrafe.

Poderia até processá-lo por me ter chamado de falsário. Mas vou limitar-me ao campo das idéias, pois, diante da Reencarnação, compreendo seu caso.

Sua citada correspondência surpreendeu-me muito. Primeiro porque, embora eu já soubesse que o senhor é um indivíduo polêmico, eu não sabia que o fosse tanto assim.

Segundo, porque eu jamais esperava que o meu Livro fosse incomodá-lo tanto assim, como o incomodou, deixando "a mil" o seu estado emocional, e levando a questão para uma polêmica personalística, o que, como disse acima, não vai ser o estilo desta carta. Mas, que o Sr. parece ser a reencarnação de Torquemada, parece ! ( Obs : Tomás Torquemada, 1420-1498, famoso Sacerdote Católico e Inquisidor-Mor espanhol. Segundo alguns cronistas, foram exterminadas mais de 2.000 pessoas, muitas na "santa" fogueira da Inquisição, sob seu comando. Seu zelo inquisitorial foi levado a tal extremo, que seus excessos tiveram que ser contidos pelo Papa Alexandre VI. Foi o inspirador da medida de expulsão dos judeus da Espanha. O nome desse frade dominicano, Torquemada, tornou-se símbolo de intolerância e fanatismo - Destaque nosso )

O Sr. é um parapsicólogo teórico. Isso valeu muito para o passado. O parapsicólogo moderno é empírico, experimental, trabalhando com laboratório, ou seja, é um psicotrônico. E nota máxima para o Sr. em suas questões referentes ao consciente. Mas, nota sofrível para as do inconsciente.

Em sua carta o Sr. mistura metempsicose com reencarnação. Lembro-o de que os ataques de alguns autores citados pelo Sr. contrários a metempsicose não significam necessariamente que sejam contrários à reencarnação propriamente dita. No curso que fiz com o Sr. aqui em BH, na década de setenta, o Sr. andou misturando as coisas, sendo até vaiado por isso, lembra ? E sei também que o Sr. já teve problemas com a própria Igreja, tendo em vista atitudes radicais assumidas pelo Sr.

Vamos ver alguns dos adjetivos e locuções adjetivas que o Sr. usou contra a minha pessoa e o meu Livro em apreço, oportunidade em que lhe pergunto se o Sr. acha isso normal ? Sendo, eu - repito - não culpado por alguém o ter presenteado com o meu Livro : "falsário" (já dito acima), "completamente míope intelectualmente", "reles e vil caluniador", "louco varrido, parafrênico", "livro nojento", "linguajar de um deliróide ou mesmo paranóico", "plena imbelicidade do autor", "cego ou mal intencionado", "É impossível que o autor possa ser sincero", "pulou miopemente no mais nojento chiqueiro dos escritores fanaticamente supersticiosos", etc.

Se o meu Livro o deixou tão assim descontrolado emocionalmente falando, é porque, de fato, o seu conteúdo esquentou a sua cabeça. Realmente, quando nos faltam argumentos, ou quando nos sentimos impotentes diante de certos assuntos, frequentemente apelamos para a falta de bom senso.

Veja que estou tranquilo, ao escrever-lhe esta carta, embora talvez fosse melhor deixá-lo sem resposta. E sabe por que estou tranquilo ? Porque eu estou convicto de minhas idéias em que se baseia a tese de meu Livro, o qual, em que pese a sua fúria contra ele e contra mim, está sendo visto com seriedade e até com uma certa simpatia por algumas autoridades da Igreja e dos Evangélicos, que o estão lendo até pela terceira vez, conforme muitos telefonemas e cartas, que venho recebendo de várias partes do Brasil e de Portugal, sendo ele um dos Livros mais vendidos em várias livrarias. E o Sr. não pode me xingar por isso e por ele ter sido adotado pela PUC-RS.

Não vejo nenhuma incompatibilidade em ser católico e ser teósofo, mesmo porque a Teosofia não tem dogmas, não nos obrigamos a aceitar nada que nos violente a razão. E a Igreja Católica não está com a mentalidade do século passado, e muito menos, da Idade Medieval, aquele período da Inquisição. Ela não proíbe mais que os católicos estudem religiões, e esse é um dos objetivos da Teosofia e que me fez teósofo. Sr. Pe. Quevedo, nós estamos às portas do Século 21.

Não sou o único católico reencarnacionista. Pelo contrário, a maioria dos católicos hoje, principalmente os intelectuais, inclina-se para a verdade da Reencarnação, e para a qual se inclinam também, inclusive, elementos do clero católico, cuja posição, entretanto, é silenciosa, prudentemente silenciosa. E nada conterá essa verdade, o Sr. o verá.

O reencarnacionista não é contra a Ressurreição, como se tenta maldosamente incutir na cabeça dos católicos e dos evangélicos. A reencarnação é a ressurreição do espírito na matéria, na carne, enquanto que a ressurreição propriamente dita é a ressurreição do espírito fora da matéria, fora da carne, isto é, em outra dimensão. E esta ressurreição ocorrerá só no final dos tempos, na fase escatológica do homem.

Quando acontecerá, nem os anjos nem Jesus o sabem, mas somente o Pai, segundo o próprio Jesus. Até lá, muita água passará debaixo da ponte, e aí é que entra a reencarnação.

Não me importa que os Judeus fossem pessoas simples. O que me interessa é que eles aceitavam a reencarnação. Daí eles acharem que Jesus fosse a encarnação de um dos antigos profetas. Mas eu não afirmo que eles estavam certos, neste sentido, em meu Livro, e muito menos, que Jesus fosse encarnação de Elias e de João Batista, como o Sr. diz na carta. E não acredito que o Sr. esteja fazendo jogo sujo com isso. Acredito, sim, que o Sr. não leu bem meu Livro, ou está mal assessorado por pessoas que também não o leram bem.

O Sr. duvida até de que eu seja formado na PUC-MG e de que eu tenha estudado para padre. Mas isso não me incomoda, pois esses estudos pouco representam para eu ter escrito o Livro em apreço.

Vou abordar a sua carta e esta minha resposta no Programa "A Caminho da Luz", dirigido por Aurélio França, na Rádio Metropolitana de BH, do qual participo ( AM 1250, de 20 às 22 horas, aos sábados). Ele é ouvido aí em São Paulo.

O Sr. disse que eu não sei citar a Bíblia, só porque, às vezes, eu a cito "ipsis literis", entre aspas, como deve ser, e outras vezes, com as minhas próprias palavras, mas citando também, como no primeiro caso, o Livro, capítulo e versículo correspondentes da Bíblia. Ter-lhe-iam faltado mais argumentos para condenar meu Livro, ao recorrer a uma crítica tão ingênua desta ?

Não vou criticar os erros de português em sua carta, pois o Sr. é estrangeiro. Deixo isso para os seus assessores.

Muito obrigado por me ter fornecido seu Fax.

O meu abraço fraternal.

J.R. Chaves, autor de " A Reencarnação Segundo a Bíblia e a Ciência". ( Assinado ).


FECHA ASPAS.




OBS.: Podemos concluir que, infelizmente, muitos preferem limitar-se a ler a letra que mata e não percebendo o espírito que vivifica. Se, ao invés de ficar procurando justificativas e erros inexistentes para combater algo que os incomoda, e realmente procurassem a verdade em toda a Obra que registra fatos e revelações de uma Religião, "determinados padres" poderiam ser considerados críticos mais autênticos e com legítimas credenciais para o Juízo e discernimento entre o que é verdadeiro e as possíveis falhas na Religião alheia. Quando tomamos a tarefa de criticar o trabalho de alguém, devemos primeiro provar que somos dignos de crédito para tal empreendimento. Ademais, já dizia Kardec :

" O verdadeiro crítico deve provar não somente erudição, mas um saber profundo no que concerne ao objeto que trate, promovendo um julgamento sadio e com uma imparcialidade a toda prova. Do contrário, qualquer sanfoneiro poderia se arrogar o direito de julgar Mozart, ou um pintor de paredes o de censurar Van Gogh."


Jefferson








DOSSIÊ DO PADRE QUEVEDO - HIPOCRISIA EXPOSTA !!!


                O relato a seguir teve por base, mais uma vez, o Site do Maurício CP, o qual, diga-se de passagem, vem fazendo um excelente Trabalho de divulgação e demonstração do verdadeiro caráter desse Quevedo e é claro, de seus "discípulos" que não passam de capachos e bonecos manipulados, que sofreram verdadeira lavagem cerebral, que os fazem sentir "os senhores absolutos da verdade", dignos de pena, é verdade, porém dignos também de um tratamento especial de refutação à altura dos ataques, que às vezes, os deixam furiosos por saberem que, aos poucos, o outro lado da moeda também existe, mas que eles fazem questão de esconder.

                Que fique a critério dos Leitores a crítica de Autores de Gabarito, como Paulo Neto, José Reis Chaves e, em especial, Nazareno Tourinho, que já escreveu mais de 20 Livros da Doutrina, sendo que um deles versa sobre as manipulações dos Livros do Quevedo, o qual pode ser encontrado na Livraria Virtual Candeia Net : www.candeianet.com.br, com o Título : "Padre Quevedo: De Acusador Anti-Espírita a Culpado".

                Para quem se interessar, a aquisição dessa Obra é segura por essa Livraria Virtual. Eles entregam no prazo combinado ( geralmente 7 dias ). Foi de lá que eu comprei esse Livro.


UM POUCO DA FARSA QUEVEDISTA :

                Esta Obra é uma resposta espírita ao padre Oscar Gonzalez-Quevedo. Oportuna e indispensável. Nasceu como uma flor de esclarecimento científico e filosófico no canteiro de ervas daninhas voltadas para a nossa crença, que o mencionado sacerdote plantou e cultiva há quarenta anos com o adubo de clamorosas inverdades, manejando a enxada da agressão.

                A idéia de escrever estas linhas, necessariamente enérgicas, surgiu quando em janeiro de 2.000 o célebre jesuíta foi contratado pela emissora de televisão de maior audiência no país para aparecer em um programa domingueiro, de quinze em quinze dias, a fim de desmascarar mistificadores de fenômenos paranormais em nome da Parapsicologia.

                Exorbitando da missão que lhe cumpria desempenhar de forma competente e honesta, aliás bastante útil para alertar o povo, ele logo de início aproveitou-se da incumbência para atacar médiuns autênticos e conceitos doutrinários kardequianos, pelo que poucos meses depois teve o contrato rescindido ou suspenso, já se encontrando a essa altura sob o fogo cerrado dos textos adiante transcritos, dados a lume graças sobretudo à lucidez do editor-jornalista J. Pascale e à coragem do dirigente da FEESP Cáio Atanácios Petro Salama, dois valorosos companheiros de ideal a quem é justo expressarmos, aqui, um sincero agradecimento pela maneira como prestigiaram a nossa produção intelectual na defesa do Espiritismo nos derradeiros lustros, em que para ela se fecharam muitas portas institucionais importantes, pintadas de falso zelo evangélico por não compreenderem a sabedoria destas palavras de Allan Kardec :

"Entretanto há polêmica e polêmica. Há uma ante a qual jamais recuaremos — é a discussão séria dos princípios que professamos."


                Os textos adiante alinhados como Capítulos foram feitos originalmente como artigos, mas nem por este fato deixam de compor um unidade orgânica no seu conjunto, percorrendo caminho crítico adequado ao desmonte da construção teórica do padre Quevedo em geral. Poderíamos tê-los reescrito para reordenar os argumentos como se fossem inéditos e assim formar o presente livro, porém achamos que isto, afora ser supérfluo, retiraria desta brochura uma vantagem : A de poder ser usada por jornais e revistas do nosso movimento ideológico que desejem refutar as mentiras quevedianas através de escritos seriados. Bastará que, em sua periodicidade, divulguem os diversos textos na mesma seqüência, utilizando os capítulos como se fossem artigos, ou crônicas, pois cada um deles também possui unidade orgânica própria, independente dos demais.

                E assim, salvo melhor juízo, fica a literatura espírita contemporânea com mais algum material disponível para anular, a qualquer hora, determinadas investidas da Igreja Romana tradicional contra o Espiritismo. Ela, desde o século passado, mantém de plantão um dos seus representantes mais cultos para bombardear o nosso caminho, e o padre Quevedo, sucessor de Frei Boaventura, revelou-se o pior deles porque, com máxima esperteza, trocou o discurso teológico pelo pseudo-científico.



Mais detalhes :

Espiritismo e Quevedo - O fim de uma farsa. Por Nazareno Tourinho.pdf


Para aqueles que desejarem baixar o Dossiê completo, sugiro o acesso a seguir. O Documento pode ser obtido em .doc ( Word )   ou   .pdf ( Acrobat Reader ) :


No Word ( Live Files Store ) :
Padre Quevedo - A verdade que poucos conhecem - Em DOC.


No Acrobat Reader ( Live Files Store ) :
Padre Quevedo - A verdade que poucos conhecem - Em PDF.




Voltar para a Página Inicial


www.000webhost.com