OS MAIORES GÊNIOS DA HISTÓRIA DA HUMANIDADE ACREDITAVAM EM DEUS.


Matéria publicada no Jornal Americano "The State", Carolina do Sul e "The Daily Ardmoreite", Oklahoma, USA


http://www.thestate.com

http://www.ardmoreite.com/stories/040497/news/news12.html




The State Journal





Um estudo indica, entretanto, que muitos cientistas acreditam em Deus conforme o conceito mais comum e usual.

Repetindo com exatidão uma famosa pesquisa realizada em 1916, Edward Larson, da Universidade da Geórgia, constatou que a profundidade da fé religiosa entre os cientistas não diminuiu apesar dos avanços científicos e tecnológicos deste século.

Tanto em 1916 como agora, em torno de 40% dos biólogos, físicos e matemáticos que participaram da pesquisa disseram que acreditavam em um Deus que, segundo a estrita definição do questionário, se comunica com a humanidade e a quem se pode orar "na expectativa de receber uma resposta".

Cerca de 15% em ambas as pesquisas alegaram ser agnósticos ou de não ter "uma convicção definida" sobre a questão.

Em torno de 42% em 1916 e aproximadamente 45% agora disseram que não criam em um Deus como o especificado no questionário, apesar de que não se verificou se eles criam em alguma outra definição de Divindade ou ser superior.

Mais revelador do que os próprios números, segundo disseram os especialistas, é a sua estabilidade. O fato das convicções pessoais dos cientistas terem permanecido inalteradas durante quase um século caracterizado por mudanças sugere que a religiosidade ortodoxa não está desaparecendo em maior grau entre os que são considerados a elite intelectual e a população em geral. Os resultados também indicam que, enquanto a religião e a ciência são frequentemente apontadas como irreconciliavelmente antagônicas, cada uma disputando para si o trono da verdade, muitos cientistas não veem contradição entre a busca para entender as leis da natureza e a fé em uma Divindade superior. ( The State, South carolina's Home Page, 4/4/97)




Albert Einstein

Marcador Albert Einstein - Nasceu em Ulm, Alemanha, em 1879. Foi um físico alemão radicado nos Estados Unidos mais conhecido por desenvolver a teoria da relatividade. Ganhou o Prêmio Nobel da Física de 1921 pela correta explicação do efeito fotoelétrico; no entanto, o prêmio só foi anunciado em 1922. O seu trabalho teórico possibilitou o desenvolvimento da energia atômica, apesar de não prever tal possibilidade :





Quem quiser acessar um estudo minucioso e que esclarece de vez a controvérsia se Einstein era ateu ou acreditava em Deus, é só clicar no link abaixo ( Em inglês ) :

http://www.einsteinandreligion.com

Albert Einstein and Religion


Eis alguns tópicos relevantes deste site. A cada sentença em Inglês tem a sua tradução logo abaixo :

Atheists Irk Einstein :

"In view of such harmony in the cosmos which I, with my limited human understanding, am able to recognize, there are yet people who say there is no God. But what really makes me angry is that they quote me for the support of such views."

- Prince Hubertus zu Löwenstein, Towards the Further Shore (Victor Gollancz, London, 1968), p. 156; quoted in Jammer, p. 97

Ateus irritam Einstein :

"Diante de tal harmonia no cosmos que eu, com minha limitada compreensão humana, sou capaz de reconhecer, no entanto, que há pessoas que dizem que Deus não existe. Mas o que realmente me deixa irritado é que eles me citarem para apoiar tais pontos de vista."


You accept the historical existence of Jesus?

"Unquestionably. No one can read the Gospels without feeling the actual presence of Jesus. His personality pulsates in every word. No myth is filled with such life. How different, for instance, is the impression which we receive from an account of legendary heroes of antiquity like Theseus. Theseus and other heroes of his type lack the authentic vitality of Jesus."

- An Interview by George Sylvester Viereck,"The Saturday Evening Post, Oct. 26, 1929, p. 17.

Você aceita a existência histórica de Jesus?

"Sem dúvida . Ninguém pode ler os Evangelhos sem sentir a presença real de Jesus. Sua personalidade pulsa em cada palavra. Nenhum mito é cheio de vida assim. Quão diferente, por exemplo, é a impressão que recebemos de uma conta de heróis lendários da antiguidade como Teseu. Teseu e outros heróis de seu tipo não têm a vitalidade autêntica de Jesus."


God's worry :

"If God has created the world, his primary worry was certainly not to make its understanding easy for us. I do not believe in the God of theology who rewards good and punishes evil. My God created laws that take care of that. His universe is not ruled by wishful thinking, but by immutable laws. I want to know how God created this world. I'm not interested in this or that phenomenon, in the spectrum of this or that element. I want to know His thoughts; the rest are details."

- Letter to David Bohm, February 10, 1954; Einstein Archive 8-041

A preocupação de Deus :

"Se Deus criou o mundo, a sua preocupação principal não era certamente a fazer a sua compreensão fácil para nós. Eu não acredito no Deus da teologia que recompensa o bem e pune o mal. Meu Deus criou leis que cuidam disso. Seu universo não é governado por ilusões, mas por leis imutáveis. Eu quero saber como Deus criou este mundo. Eu não estou interessado neste ou naquele fenômeno, no espectro deste ou daquele elemento. Eu quero saber os seus pensamentos; o resto são detalhes."


Edited by Arnold V. Lesikar,
Professor Emeritus
Dept. of Physics, Astronomy, and Engineering Science,
St. Cloud State University, St. Cloud, MN 56301-4498

Feedback to: lesikar@stcloudstate.edu


*************


A seguir, um resumo de mais frases e afirmações de Einstein e a religião :


"A opinião comum de que sou ateu, repousa sobre grave erro.

Quem a pretende deduzir de minhas teorias científicas não as entendeu. Creio em um Deus pessoal e posso dizer que, nunca, em minha vida, cedi a uma ideologia atéia.

Não há oposição entre a ciência e a religião. Apenas há cientistas atrasados, que professam ideias que datam de 1880. Aos dezoito anos, eu já considerava as teorias sobre o evolucionismo mecanicista e casualista como irremediavelmente antiquadas.

No interior do átomo não reinam a harmonia e a regularidade que estes cientistas costumam pressupor. Nele se depreendem apenas leis prováveis, formuladas na base de estatísticas reformáveis.

Ora, essa indeterminação, no plano da matéria, abre lugar à intervenção de uma causa, que produza o equilíbrio e a harmonia dessas reações dessemelhantes e contraditórias da matéria.

Há, porém, várias maneiras de se representar Deus. Alguns o representam como o Deus mecânico, que intervém no mundo para modificar as leis da natureza e o curso dos acontecimentos. Querem pô-lo a seu serviço, por meio de fórmulas mágicas.

É o Deus de certos primitivos, antigos ou modernos. Outros o representam como o Deus jurídico, legislador e agente policial da moralidade, que impõe o medo e estabelece distâncias.

Outros, enfim, como o Deus interior, que dirige por dentro todas as coisas e que se revela aos homens no mais íntimo da consciência.

A mais bela e profunda emoção que se pode experimentar é a sensação do misterioso. Este é o semeador da verdadeira ciência. Aquele a quem seja estranha tal sensação, aquele que não mais possa devanear e ser empolgado pelo encantamento, não passa, em verdade, de um morto.

Saber que realmente existe aquilo que é impenetrável a nós, e que se manifesta como a mais alta das sabedorias e a mais radiosa das belezas, que as nossas faculdades embotadas só podem entender em suas formas mais primitivas, esse conhecimento, esse sentimento está no centro mesmo da verdadeira religiosidade.

A experiência cósmica religiosa é a mais forte e a mais nobre fonte de pesquisa científica.

Minha religião consiste em humilde admiração do espírito superior e ilimitado que se revela nos menores detalhes que podemos perceber em nossos espíritos frágeis e incertos.

A religião do futuro será cósmica e transcenderá um Deus pessoal, evitando os dogmas e a teologia.

Essa convicção, profundamente emocional na presença de um poder racionalmente superior, que se revela no incompreensível universo, é a ideia que faço de Deus".






Alessandro Volta

Marcador Alessandro Volta - Nasceu em Como, Itália, 1745. Volta mostrou que a origem da corrente eléctrica, descoberta por Luigi Galvani, não estava nos seres vivos mas sim no contacto entre dois metais diferentes num meio ionizado. Construiu as primeiras pilhas químicas no final do século XVIII, cujo nome deu origem ao termo "voltagem", marcando o início do estudo da eletricidade e dos circuitos eléctricos. Estes estudos foram as bases do rápido desenvolvimento da teoria eletromagnética nas décadas seguintes. Volta também descobriu e isolou o gás metano e inventou o eletróforo, aparelho que permite produzir cargas eletrostáticas por atrito. Foi diretor da Faculdade de Filosofia da Universidade de Pádua :


"Submeti a um estudo profundo as verdades fundamentais da fé, e […] desse modo encontrei eloquentes testemunhos que tornam a religião acreditável a quem use apenas a sua razão".








Andre Marie Ampere

Marcador Andre Marie Ampere - Nasceu em Lyon, França, em 1775. Foi professor de física, química e matemática em Lyon e em Bourg. Para além de ser um extraordinário professor, Ampère desenvolveu trabalhos muito importantes nos campos da física, química e da matemática. Entre 1807 e 1816, estabeleceu a diferença entre átomos e moléculas, enunciou o chamado “princípio de Avogadro”, descobriu um ácido ao qual deu o nome de Fluorine, publicou uma tese sobre a refração da luz e concebeu uma classificação de elementos, precursora da tabela periódica de elementos. Descobridor da lei fundamental da eletrodinâmica, cujo nome deu origem ao termo “amperagem” :


"A mais persuasiva demonstração da existência de Deus depreende-se da evidente harmonia daqueles meios que asseguram a ordem do universo e pelos quais os seres vivos encontram no seu organismo tudo aquilo de que precisam para a sua subsistência, a sua reprodução e o desenvolvimento das suas virtualidades físicas e espirituais".







Carl Friedrich Gauss

Marcador Carl Friedrich Gauss - Nasceu em Braunschweig, Alemanha, em 1777. Famoso matemático, astrônomo e físico alemão. Era conhecido como o príncipe dos matemáticos. Muitos consideram Gauss o maior gênio da história da Matemática. Seu QI foi estimado em cerca de 240. Em Física, deu grandes contribuições ao campo do magnetismo, área em que trabalhou fazendo parceria com Weber. Hoje, a unidade de campo magnético pode ser o gauss ou o weber/m2 :


"Quando tocar a nossa última hora, teremos a indizível alegria de ver Aquele que em nosso trabalho apenas pudemos pressentir".










Ernst Werner Von Siemens

Marcador Ernst Werner Von Siemens - Nasceu em Lenthe, perto de Hannover, Alemanha, em 1816. Foi um inventor e industrial alemão. Siemens inventou um telégrafo que usava uma agulha para apontar para a letra correta, em vez de usar o código Morse. Baseado na sua invenção, fundou a companhia Siemens AG em 12 de Outubro de 1847. Inventou ainda um comboio eléctrico em 1879, a borracha, como isolador térmico, o fotómetro de selênio e o dínamo eléctrico de corrente alterna, entre outras invenções. Foi ainda o construtor das primeiras linhas subterrâneas de telégrafo na Europa :


"Quanto mais fundo penetramos na harmoniosa dinâmica da natureza, tanto mais nos sentimos inspirados a uma atitude de modéstia e humildade […] e tanto mais se eleva a nossa admiração pela infinita Sabedoria, que penetra todas as criaturas".








Guglielmo Marconi

Marcador Guglielmo Marconi - Nasceu em Bolonha, Itália, em 1874. Foi um físico inventor do rádio, primeiro sistema práctico de telegrafia sem fios, em 1896. A teoria de que as ondas eletromagnéticas poderiam propagar-se no espaço, formulada por James Clerk Maxwell, e comprovada pelas experiências de Heinrich Hertz, em 1888, foi utilizada por Marconi entre 1894 e 1895. Ele tinha apenas vinte anos quando transformou o celeiro da casa onde morava em laboratório e estudou os princípios elementares de uma transmissão radiotelegráfica. Inventor do telégrafo sem fio, prêmio Nobel em 1909 :


"Declaro com ufania que sou homem de fé. Creio no poder da oração. Creio nisto não só como fiel cristão, mas também como Cientista".










Isaac Newton

Marcador Isaac Newton - Nasceu em Woolsthorpe, Inglaterra, em 1642. Fundador da física clássica e descobridor da lei da gravidade. Cientista inglês, mais reconhecido como físico e matemático, embora tenha sido também astrônomo, alquimista e filósofo natural. É autor da obra Philosophiae Naturalis Principia Mathematica, publicada em 1687, em que descreve a lei da gravitação universal e as Leis de Newton — as três leis dos corpos em movimento que assentaram-se como fundamento da mecânica clássica :


"A maravilhosa disposição e harmonia do universo só pode ter tido origem segundo o plano de um Ser que tudo sabe e tudo pode. Isso fica sendo a minha última e mais elevada descoberta".










James Prescott Joule

Marcador James Prescott Joule - Nasceu em Salford, perto de Manchester, Inglaterra, em 1818. Joule, foi um físico e estudou a natureza do calor, e descobriu relações com o trabalho mecânico. Isso direcionou para a teoria da conservação da energia (a Primeira Lei da Termodinâmica). A nomenclatura joule, para unidades de trabalho no SI só veio após sua morte, em homenagem. Joule trabalhou com Lorde Kelvin, para desenvolver a escala absoluta de temperatura, também encontrou relações entre o fluxo de corrente através de uma resistência elétrica e o calor dissipado, agora chamada Lei de Joule :


"Nós topamos com uma grande variedade de fenômenos que […] em linguagem inequívoca falam da sabedoria e da bendita mão do Grande Mestre das obras".









John Ambrose Fleming

Marcador John Ambrose Fleming - Nasceu em Lancaster, Inglaterra, em 1849. Foi um engenheiro eletrônico e físico britânico. Fleming foi aluno James Clerk Maxwell (1831-1879) nas cadeiras de matemática e eletricidade. Foi consultor científico de Marconi de 1899-1905, onde desenvolveu técnicas de radiotelegrafia, osciladores de centelhamento, geradores de ruído branco, e desenvolvimento de circuitos sintonizados. Descobridor da válvula e do diodo :


"A grande quantidade de descobertas modernas destruiu por completo o antigo materialismo. O universo apresenta-se hoje ao nosso olhar como um pensamento. Ora, o pensamento supõe a existência de um Pensador".









Thomas Edison

Marcador Thomas Alva Edison - Nasceu em West Orange, Estados Unidos, em 1847. Foi um inventor e empresário. Entre as suas contribuições mais universais para o desenvolvimento tecnológico e científico encontra-se a lâmpada eléctrica incandescente, o gramofone, o cinescópio ou cinetoscópio, o ditafone e o microfone de grânulos de carvão para o telefone, Edison é um dos precursores da tecnologia do século XX. Tem um papel determinante na indústria do cinema. Muitos o consideram o maior inventor de todos os tempos. O seu QI seria estimado em cerca de 240, boa marca para o ego americano. A ele são atribuídas mais de 1300 patentes das quais várias centenas são de facto de sua própria autoria :


"Tenho […] enorme respeito e a mais elevada admiração por todos os engenheiros, especialmente pelo maior deles : Deus".









Von Braun

Marcador Wernher Magnus Maximilian Von Braun - Nasceu em Wyrzysk, Prússia, região que fazia parte da antiga Alemanha, em 1912. Foi um cientista alemão e uma das figuras principais no desenvolvimento de foguetes na Alemanha e nos Estados Unidos. Nos EUA, é respeitado como um dos heróis do programa espacial. Entrou na NASA em 1960, tornando-se diretor do Centro Espacial de vôo Marshall de 1960 à 1970, onde dirige os programas de vôos habitados Mercury, Gemini e Apollo. Ele é o pai do foguete Saturno V que levou os astronautas estadunidenses à Lua :


"Não se pode de maneira nenhuma justificar a opinião, de vez em quando formulada, de que na época das viagens espaciais temos conhecimentos da natureza tais que já não precisamos de crer em Deus. Somente uma renovada fé em Deus pode provocar a mudança que salve da catástrofe o nosso mundo. Ciência e religião são, pois, irmãs, e não polos antiéticos […] Quanto mais compreendemos a complexidade da estrutura atômica, a natureza da vida ou o caminho das galáxias, tanto mais encontramos razões novas para nos assombrarmos diante dos esplendores da criação divina".







Wiliam Thompson Kelvin

Marcador William Thomson Kelvin - Nasceu em Belfast, Irlanda do Norte, em 1824. Foi um físico-matemático e engenheiro britânico, considerado um líder nas ciências físicas do século XIX. Ele fez importantes contribuições na análise matemática da eletricidade e termodinâmica, e fez muito para unificar as disciplinas emergentes da física em sua forma moderna. Ele é amplamente conhecido por desenvolver a escala Kelvin de temperatura absoluta. O título de Barão Kelvin foi dado em homenagem às suas realizações :


"Estamos cercados de assombrosos testemunhos de inteligência e benévolo planejamento; eles nos mostram através de toda a natureza a obra de uma vontade livre e ensinam-nos que todos os seres vivos são dependentes de um eterno Criador e Senhor".









Timothy John Berners-Lee

Marcador Sir Timothy John Berners-Lee - Grande inventor da Internet. Formulou a conhecida e famosa WWW - World Wide Web. Nasceu em Londres, Inglaterra e frequentou a Emanuel School em Wandsworth. Ele é um ex-aluno do Queen's College da Universidade de Oxford, onde construiu um computador de maneira revolucionária, que incluía ferro, um processador M6800, uma televisão velha, entre outras coisas. É diretor do World Wide Web Consortium. Tim Berners-Lee foi considerado um dos maiores gênios vivos do mundo, segundo o levantamento "Top100 Living Geniuses", da consultoria Creators Synectics :


"Não vejo nenhum problema na quantidade de inteligência artificial programada em um computador. Ele não pode conhecer o amor, a alegria e a paz. E nem poderia alcançar a Consciência de Deus. Nenhum humano conseguiu isso, com exceção de poucos santos. Se um computador alcançasse este estágio, então os criadores da máquina seriam Deuses".







DESIGN INTELIGENTE


Livro Intelligently Designed



Design inteligente ( ou projeto inteligente ou Intelligent Designed ), segundo seus próprios proponentes, é o nome dado à teoria que sustenta que certas propriedades do universo e dos seres vivos são melhor explicadas por meio de uma causa inteligente e não por leis físicas e processos naturais. Esta teoria não pretende determinar a identidade desta causa inteligente, nem afirma ser esta causa necessariamente um "ser divino", ou uma "força superior". Ela limita-se a propor que a ciência possa identificar se certas propriedades do mundo natural são produtos da inteligência.






SETE RAZÕES POR QUE UM CIENTISTA ACREDITA EM DEUS


Por Abraham Cressy Morrison

Ex-presidente da Academia de Ciências de Nova York



A. Cressy Morrison
NÓS AINDA ESTAMOS NO AMANHECER da era científica, e todo o aumento da luz revela mais e mais a obra de um Criador inteligente. Nós fizemos descobertas estupendas; com um espírito de humildade científica e de fé fundamentada no conhecimento estamos nos aproximando de uma consciência de Deus.

Para mim, eu conto sete razões para minha fé :


1ª) Através da lei matemática podemos provar sem erro que nosso universo foi projetado e foi executado por uma grande inteligência de engenharia.

Suponha que você coloque dez moedas de centavos, marcadas de um a dez, em seu bolso e lhes dê uma boa agitada. Agora tente pegá-las na ordem de um a dez, pegando uma moeda a cada vez que você agita o bolso.

Matematicamente sabemos que a chance de pegar a número um é de um em dez; de pegar a um e a dois em seqüência é de um em 100; de pegar a um, dois e três em seqüência é de um em 1000 e assim por diante; sua chance de pegar todas as moedas, em seqüência, seria de um em dez bilhões.

Pelo mesmo raciocínio, são necessárias as mesmas condições para a vida na Terra ter acontecido por acaso. A Terra gira em seu eixo 1.000 milhas por hora no Equador; se ela girasse 100 milhas por hora, nossos dias e noites seriam dez vezes mais longos e o Sol provavelmente queimaria nossa vegetação de dia enquanto a noite longa gelaria qualquer broto que sobrevivesse.

Novamente o Sol, fonte de nossa vida, tem uma temperatura de superfície de 10.000 graus Fahrenheit, e nossa Terra está distante bastante para que esta "vida eterna" nos esquente só o suficiente! Se o Sol desse somente metade de sua radiação atual, nós congelaríamos, e se desse muito mais, nos assaria.

A inclinação da Terra, inclinada a um ângulo de 23 graus, nos dá nossas estações; se a Terra não tivesse sido inclinada assim, vapores do oceano mover-se-iam de norte a sul, tranformando-nos em continentes de gelo. Se nossa lua fosse, digamos, só 50.000 milhas mais longe do que hoje, nossas marés poderiam ser tão enormes que duas vezes por dia os continentes seriam submergidos; até mesmo as mais altas montanhas se encobririam. Se a crosta da Terra fosse só dez pés mais espessa, não haveria oxigênio para a vida. Se o oceano fosse só dez pés mais fundo, o gás carbônico e o oxigênio seriam absorvidos e a vida vegetal não poderia existir.

É perante estes e outros exemplos que não há uma chance em um bilhão que a vida em nosso planeta seja um acidente.


2ª) O desenvolvimento da vida para realizar seu propósito é uma manifestação de uma inteligência.

O que a vida é, nenhum homem descobriu. Não tem peso, nem dimensões, mas tem força; uma raiz em crescimento rompe uma rocha. A vida conquistou a água, terra, o ar, e dominha os elementos, compelindo-os a se dissolverem e mudarem conforme suas combinações.

A vida, escultora, molda todas as coisas vivas; artista, projeta todas as folhas de uma árvore e as cores de cada flor. A vida é um músico e ensina cada pássaro a cantar sua canção de amor, os insetos a se chamarem para cantarem. A vida é um sublime químico e dá gosto às frutas e especiarias, perfume às rosas, muda a água e ácido carbônico em açúcar e maderia e, assim, lançando oxigênio para que os animais possam ter vida.

Veja, só uma gota quase invisível de protoplasma, transparente, como uma jóia, capaz de movimento, puxa a energia do Sol. Esta única célula, essa névoa transparente, segura dentro de si mesma, o gérmen de vida, e tem poder para distribuir essa vida para todo ser vivente, grande e pequeno. Os poderes desta gota são maiores que nossa vegetação, animais e as pessoas, toda a vida veio disso. A Natureza não criou a vida; pedras fogo-empoladas e um mar de sal, por si só, não poderiam satisfazer as exigências necessárias à vida. Quem, então, pôs isto aqui?


3ª) A sabedoria animal fala de um Criador bom que deu o instinto nas pequenas criaturas.

O jovem salmão gasta anos no mar, então volta para o próprio rio, e viaja o mesmo lado do rio no qual está o lugar onde nasceu. O que o dirige? Se você mudar o afluente ele saberá corrigir a rota e achar o lugar certo.

Mais difícil ainda é o mistério das enguias. Estas criaturas surpreendentes migram na maturidade de lagoas e rios em todos lugares - da Europa por milhares de milhas do oceano - indo todas para uma profundeza abismal perto das Ilhas Bermudas. Lá elas criam e morrem. O filhote, sem meios aparentes de saber qualquer coisa, a não ser que eles estão em um deserto de água, não obstante começam a nadar e acham o caminho para os mesmos lugares de onde seus pais vieram. Nenhuma enguia americana foi encontrada na Europa e nenhuma enguia européia nas águas americanas. A natureza estendeu ainda mais a maturidade da Enguia européia, por um ano ou mais, para compensar sua jornada mais longa. De onde veio este impulso que as orienta?


4ª) O Homem tem algo mais que instinto animal - o poder de razão.

Nenhum outro animal alguma vez deixou um registro de sua habilidade para contar dez, ou até mesmo entender o significado de dez. Onde está o instinto, como em uma única nota de uma flauta, bonita mas limitada, o cérebro humano contém todas as notas de todos os instrumentos na orquestra. Não é preciso explicar este quarto ponto; graças a razão humana podemos contemplar a possibilidade que nós somos o que somos porque temos uma centelha da Inteligência Universal.


5ª) As provisões para todos os seres são vistas como nas maravilhas dos genes.

Tão minúsculos são os genes que, se todos os que são responsáveis pelos seres humanos fossem colocados juntos, caberiam num dedal. Mesmo assim esses genes habitam toda célula viva e são as chaves a todo ser humano, animal e vegetal. Um dedal é um lugar pequeno para colocar todas as características individuais de quase 6 bilhões de humanos. Porém, os fatos estão além de qualquer pergunta.

Aqui a evolução realmente começa - na célula, a entidade que contém e carrega os genes. O fato do minúsculo gene poder reger toda a vida na Terra é um exemplo da sabedoria que só poderia vir de uma Inteligência Criativa; nenhuma outra hipótese servirá.


6ª) Pela natureza, nós somos forçados a perceber que há uma sabedoria infinita que preparou tudo com precisão.

Muitos anos atrás uma espécie de cáctus foi plantada na Austrália com uma cerca protetora. Não tendo nenhum inseto inimigo na Austrália, o cáctus começou um crescimento bom; cresceu tanto que cobriu uma área do tamanho da Inglaterra, expulsando os habitantes das cidades e aldeias e destruindo suas fazendas. Buscando uma defesa, um entomologista viajou pelo mundo; finalmente ele viu um inseto que vivia só de cacto. Foi criado livremente, sem nenhum inimigo na Austrália. Controlando o cacto, acabou com a peste. Tudo isto por causa de um pequeno inseto, que controlou a grande praga do cáctus.

Esse equilíbrio e balanço foram dados universalmente. Por que não há massas de insetos dominando a Terra? Porque não tem pulmão como o homem possui; respiram por tubos. Mas quando crescem esses tubos não crescem em relação ao tamanho do corpo. Conseqüentemente nunca houve um inseto de grande tamanho; esta limitação no crescimento os controlou. Se este controle físico não existisse, o homem não poderia existir. Imagine ver uma mosca tão grande quanto um leão!


7ª) O fato que o homem pode conceber a ideia de Deus é em si mesmo uma prova.

A concepção de Deus veio de uma faculdade divina do homem, única como o resto do nosso mundo - a faculdade que nós chamamos imaginação. Por seu poder, o homem pode achar a evidência de coisas não vistas. O poder da imaginação é ilimitado; realmente, como a imaginação do homem se torna uma realidade espiritual, ele pode discernir em tudo a evidência de desígnio e propósito da grande verdade sobre o céu; que Deus está em todos lugares e em nossos corações.

É cientificamente como também imaginativamente comprovado, como o Salmista disse : "Os céus declaram a Glória de Deus e o firmamento as obras de Suas mãos."



Fonte : http://www.dlshq.org/messages/sciblgod.htm

Tradução: Emerson de Oliveira









CIENTISTAS COMPROVAM A EXISTÊNCIA DE DEUS COM MATEMÁTICA E UM SIMPLES NOTEBOOK


Einstein, Kurt-Godel e a crença em Deus

Dois cientistas formalizaram um teorema sobre a existência de Deus, escrito pelo renomado matemático tcheco Kurt Gödel (1906-1978). O nome de Gödel pode não significar muito para alguns, mas entre os cientistas ele possui reputação semelhante a de Albert Einstein - de quem era um amigo próximo.

Os cientistas da Universidade Livre de Berlim, Christoph Benzmüller e Bruno Woltzenlogel Paleo, realizaram um trabalho que teve como base o argumento ontológico (ciência do ser em geral) de Kurt Gödel, que propôs um teorema matemático para a existência de Deus. Por conta disso, a notícia foi veiculada, na última semana, pelo diário alemão Die Welt, sob a manchete “Cientistas provam a existência de Deus”

Obviamente, uma ressalva significativa deve ser feita sobre a afirmação. Na verdade, o que os pesquisadores em questão dizem ter realmente comprovado não é a existência de um "Ser Supremo" em si, mas como o uso de uma "tecnologia superior" pode resultar em avanços em vários campos científicos.



O Matemático Tcheco Kurt Godel que convivia com Einsten publica sua teoria sobre Deus

Quando Gödel morreu, em 1978, ele deixou uma teoria tentadora baseada nos princípios da lógica modal - que um ser superior deve existir. Os detalhes da matemática envolvidos na prova ontológica de Gödel são complicados, mas, na essência, o matemático argumentou que, por definição, Deus é aquele para o qual não poderia ser concebido um ser maior. E, enquanto Deus existe conceitualmente falando, ele poderia ser concebido como "o maior", se ele existisse na realidade. Portanto, para Gödel, Deus deveria existir.

Apesar desta argumentação não ser exatamente nova na época que foi formulada pelo matemático, ele inovou ao escrever teoremas - pressupostos que não podem ser comprovados - como equações matemáticas sobre o assunto. E, a partir daí, isso poderia ser comprovado.

Aí entram Christoph Benzmüller e Bruno Woltzenlogel Paleo. Com o uso de um MacBook comum, eles mostraram que a prova de Gödel está correta - pelo menos em um nível matemático - por meio da lógica modal superior. Sua apresentação inicial, na publicação científica arXiv.org, recebeu o título de "Formalização, mecanização e automação de prova da existência de Deus de Gödel".

E, a partir do fato que um teorema complicado foi comprovado com uso de um equipamento tecnológico de acesso ao público, isso abre "todos os tipos de possibilidades", declarou Benzmüller ao jornal Spiegel. "É totalmente incrível que, a partir deste argumento liderado por Gödel, tudo isso pode ser provado automaticamente em poucos segundos, ou até menos em um notebook padrão", disse ele.


Para finalizar :

É uma verdade indubitável que uma conexão foi estabelecida entre este mundo e o outro - Sir Willian Crooks


- Fonte :
http://noticias.seuhistory.com/cientistas-comprovam-existencia-de-deus-com-matematica-e-um-simples-notebook#sthash.xrM3b2Jl.dpuf



Voltar para a Página Inicial


www.000webhost.com