O SUBCONSCIENTE E AS MANIFESTAÇÕES ESPIRITUAIS


O inconsciente sabe tudo ? O que dizem os verdadeiros sábios sobre o inconsciente e as manifestações espirituais ?

Vejamos se o Inconsciente explicaria os fenômenos mediúnicos, como há anos vem defendendo o famoso padre Quevedo e o que dizem os verdadeiros sábios, pesquisadores da Metapsíquica e da Parapsicologia, sobre os fenômenos, à primeira vista, inexplicáveis, extraordinários, para a Ciência... Tais fenômenos seriam fruto da imaginação das pessoas, seriam geralmente fraudulentos ou as manifestações Espíritas são reais ?

O conceito de inconsciente do padre Quevedo reduz-se, exata e laconicamente, à expressão : “O Inconsciente sabe-tudo”.

Em todos os capítulos dos livros do padre Quevedo, a explicação é sempre a mesma : O inconsciente captando hiperestericamente ( sensibilidade excessiva a qualquer estímulo ). Assim, as pessoas teriam maior ou menor hiperestesia, isto é, um exagero da sensibilidade para captar, inconscientemente, os pensamentos, a mímica etc, aspectos que não seriam captados em condições normais.

Até no caso dos famosos cavalos calculadores de Elberfeld ( Alemanha ) – cavalos “capazes” até de extrair raiz quadrada, dando respostas batendo a pata - a explicação quevediana, contida na catolicanet, seria aproximadamente : "...a percepção hiperestésica ocorre por parte do animal, cujos movimentos inconscientes são realizados pelo seu dono”.

Porém, preferimos o pilar científico da lei de economias das hipóteses, ou Lei de Occam. Tal postulado prega que devemos, em Ciência, sempre preferir as hipóteses mais simples às mais complexas. Assim, dada uma alegação extra-sensório-motora, cabe avaliar se existe alguma hipótese explicativa reconhecida e, em havendo mais de uma, escolher a menos complexa. Se esta é suficiente, então permanecemos com ela. Concluímos, portanto, que a melhor e mais simples explicação seria o condicionamento do animal pelo dono, no estilo Pavloviano.

Obs.: Pavloviano - Pertencente, relativo a, ou próprio de Ivan Ilitch Pavlov ( 1846-1936 ), fisiologista russo, famoso pela teoria dos reflexos condicionados. Está aí a resposta : Reflexo Condicionado !

Curiosamente, o parapsicólogo Quevedo não explica, cientificamente, como o sensitivo captaria, por hiperestesia, os sons, os estímulos visuais etc, que independeriam de distância, embora ele diga :

“(...) A importância do epigástrio deve ser destacada em Parapsicologia. A hiperestesia é especialmente frequente nesta região do corpo. As faculdades parapsicológicas têm sua sede no epigástrio e no plexo solar, como chegou a concluir Görres, em 1837”. ( A Face Oculta da Mente, de Quevedo, op. cit. P. 59 ).

Obs.: Epigástrio : A parte superior do abdômen, entre os dois hipocôndrios ( Hipocôndrio - cada uma de duas regiões abdominais superiores e laterais, direita e esquerda )

Aí está, o “parapsicólogo” Quevedo destaca a importância do epigástrio em Parapsicologia, sem nenhuma constatação científica. E cita Görres, um místico da India, para fundamentar sua assertiva. É Fantástico !!! A dedução clara é que o jesuíta saberia onde é a porta de entrada do inconsciente : Localizar-se-ia na região do abdômen ( pasmem !!!...)

Como vimos, o Inconsciente só é conhecido através da Consciência, mesmo nas concepções iniciais de Freud. Logo, é no mínimo estapafúrdia a hipótese do padre Quevedo, de que o inconsciente, estaria localizado no epigástrio... Esta é uma concepção, literalmente, indigesta. Inconcebível que esse jesuíta faça uma “salada de conceitos” dizendo-se parapsicólogo, teólogo, ilusionista, admitindo até mesmo a mística do hinduísmo ( Estranho... Antes, Quevedo sempre repudiou o misticismo... ), única e exclusivamente para atacar a Doutrina Espírita e, o que é pior, ofendendo pessoas com deboches, orgulhosamente, achando-se muito culto... Pero su cultura legendaria es aburrida y purgatoria...

Fraude, inconsciente e hiperestesia não explicam as manifestações espíritas. Obviamente, as fraudes existem nos médiuns interesseiros ( cf. itens 304 – 313 de "O Livro dos Médiuns", de Allan Kardec ), em que se não cumpre o "dai de graça o que de graça recebestes..." Porém, a existência de perfumes falsificados não significa a inexistência da verdadeira fragrância do perfume de Jesus.

Charles R. Richet ( 1850-1935 ), estudioso da Metapsíquica, um homem de laboratório de Fisiologia experimental, Prêmio Nobel de Medicina e Fisiologia, em 1913, um verdadeiro sábio, disse sobre os fenômenos Espirituais :

“São, em primeiro lugar ( e sempre ), as admiráveis experiências de William Crookes ( o maior Cientista da história, depois de Albert Einstein ), que devemos relatar. William Crookes viu, tocou, fotografou o Espírito materializado de Katie King, que tinha todas as aparências de uma pessoa real. (...) Nada mais comovente que a despedida da misteriosa e fantasmagórica Katie King. Ela anuncia que é forçada a partir e, dirigindo-se à sua médium Florence Cook, que jazia inanimada no assoalho, desperta-a dizendo-lhe : ‘Acorde, Florence, agora preciso deixá-la’. Florence despertou e, entre lágrimas, suplicou a Katie para ficar, mas foi em vão. Katie, com seu vestido branco, desapareceu. Crookes aproximou-se, então, de Florence prestes a desfalecer, e Katie desapareceu qual uma fumaça. Nunca mais voltou”. ( Charles Richet, A Grande Esperança. Lake, São Paulo, 1956, pg. 169 ).

Joseph Banks Rhine ( 1895-1980 ), o grande Parapsicólogo, criador da Parapsicologia moderna, assim se pronunciou sobre as manifestações mediúnicas :

“No curso de 75 anos de tais estudos de mediunidade alguns dos sábios mais eruditos do mundo, bem como inúmeros outros de menor reputação, convenceram-se de constituírem-se essas mensagens – pelo menos em parte – prova aceitável da existência continuada de personalidades incorpóreas, de almas sem corpo.” ( J.B. Rhine. O Alcance do Espírito, Besteseller Import. de Livros S.A., São Paulo, 1965, pg. 206 ).

Enfim, nas declarações de expoentes da Parapsicologia acima citados, a questão do Inconsciente só aparece, esparsamente, como o extra-consciente ; mas não como determinante explicativo para os fenômenos espíritas, cuja existência real é insofismável ante o acúmulo de evidências nas pesquisas realizadas até hoje.

Os pontos de contato do Inconsciente com o Espiritismo são aqueles contidos no que denominamos, como Freud, pré-consciente, isto é, aquilo que é “capaz de consciência” ( Breuer ) e o restante, isto é, aquilo que não é capaz de consciência, ou só o seja ocasionalmente, genuinamente, preferimos denominar inconsciência – não como uma estrutura, mas como uma espécie de arquivo vivido, isto é, tão bem diferenciada por Henri Bérgson da memória animal ou memória-hábito - pois o termo Inconsciente está contaminado pelos pressupostos psicanalíticos e toda a sua teoria.

O pré-consciente frequentemente penetra em nosso campo-de-consciência e só devemos dar passagem e nos preocuparmos com o que interessa ao nosso adiantamento intelectual e moral. Muitas vezes recebemos induções de pensamentos bons ou maus que podem permanece em nosso pré-consciente e tais pensamentos merecerão uma detida reflexão, isto é, na consciência funcionará o livre-arbítrio de cada um, que dirá o que devemos fazer : Se o que sugere o nosso Mentor Espiritual ou um eventual obsessor ; seremos, então, plenamente responsáveis pelos atos praticados...

Para terminar, lembramos aquela súplica de Jesus dirigida a Paulo ( antes, Paulo se chamava Saulo, e perseguia incansavelmente os Cristãos ), no caminho de Damasco.

Mutatis mutandi ( mudado o que deve ser mudado ), caberia   a   Kardec   "sair   do   túmulo"   do   cemitério   de   Père-Lachaise, materializado,   com   a   Codificação em mãos, dizer no pé-do-ouvido do famoso Padre : “ Quevedo ! ... Quevedo ! ... Por que me persegues ??? ”

Aliás, dissemos a mesma coisa em relação a Dom Marcos Barbosa há muitos anos, refutando suas teorias anti-reencarnacionistas. Dom Marcos desencarnou sem encontrar o seu “caminho de Damasco”, mas o padre Quevedo continua como Saulo...


Texto baseado no Livro de Nazareno Torinho : " Padre Quevedo – De acusador anti-Espírita a Culpado " :


Livro N. Tourinho - Pe.Quevedo : De acusador a culpado

Este Livro é encontrado na : Livraria Virtual Candeianet . Após o carregamento do Site, mude a opção para "Autor" e digite "Tourinho". Depois, procure por : "Padre Quevedo - De Acusador Anti-Espírita a Culpado". Nesta Obra, o Leitor saberá as artimanhas que o Pe. Quevedo usa para denegrir o Espiritismo e impor ideias ultrapassadas sobre o inconsciente. Prevalece a Verdade, e se faz a Justiça !!!





Voltar à Página Principal



www.000webhost.com