ESPIRITISMO E CIÊNCIA CAMINHAM JUNTOS 


UM BREVE HISTÓRICO DA EVOLUÇÃO CIENTÍFICA RELACIONADA AO ESPIRITISMO


O período científico propriamente dito, referente aos princípios Espíritas, iniciou-se a partir de 1872, com as pesquisas de William Crookes, subdivididas em : Período metapsíquico ( 1872 a 1930 ) e período parapsicológico ( de 1930 aos dias atuais ).


A comunicação com os Espíritos vira Ciência

                Embora o Espiritismo tenha feito muitos adeptos e conversões durante o próprio séc. XIX e início do séc. XX em diferentes meios sociais, chama a atenção o fascínio que a nova doutrina parece ter exercido no meio intelectual, artístico e científico da época, gerando tanto fervorosos adeptos como tenazes adversários. Arthur Conan Doyle, Victorien Sardou, Victor Hugo, Robert Owen, Cesare Lombroso, William Crookes, Oliver Lodge, Camille Flammarion, Charles Richet, entre outros, dedicaram-se a estudar o ‘outro lado’, recuperando o passado, revendo a religião à luz da ciência e encarando a morte sob novos aspectos. Grupos de cientistas reuniam-se em torno de médiuns, investigavam, eliminavam possibilidade de fraudes. Muitas dessas reuniões de estudos realizavam-se em centros de pesquisas e laboratórios e os convidados eram pessoas credenciadas pela comunidade intelectual e científica. Um exemplo foram as 43 sessões organizadas pelo Instituto Geral Psicológico de Paris nos anos 1905, 1906 e 1907, com a médium Eusápia Paladino, que incluíram, na sua assistência, Bergson, o casal Curie e Debierne, o reitor da Sorbonne. Embora muitos dos assistentes do meio científico não ficassem convencidos, um grande número confessou a sua adesão.

                Um dos mais importantes convertidos às novas descobertas propostas pelo Espiritismo foi Camille Flammarion ( 1842 - 1925 ), o eminente astrônomo e cientista do séc. XIX. Tornou-se espírita, amigo pessoal de Allan Kardec, e pronunciou o discurso fúnebre à beira de seu túmulo, imbuído pelas convicções doutrinárias espíritas, sobretudo a imortalidade da alma e a visão de que a morte era uma libertação, uma continuidade para uma nova existência espiritual, operosa e de estudos.

                Os fenômenos espíritas também repercutiram fora da França. Um dos cientistas mais importantes a dedicar-se ao estudo dos fenômenos foi o inglês William Crookes, cuja história está relacionada com a da médium Florence Cook e a materialização do espírito Katie King. Químico e astrônomo, a partir de 1856 fez parte da Sociedade Real de Londres dedicando-se a trabalhos fotográficos sobre a lua. Descobriu um processo, a amalgamação do sódio e pela análise espectral tornou conhecido um novo corpo metálico simples, o tálio. Através de uma série de experiências bem sucedidas demonstrou com exatidão um quarto estado da matéria, além do sólido, líquido e gasoso : O da matéria radiante. Com essa posição intelectual e científica, anunciou que iria se ocupar dos chamados fenômenos espíritas, com o rigor de um experimentador científico. Em 1874, publicou os primeiros resultados de suas pesquisa no “Quarterly Journal of Science”. Em fevereiro de 1897 publicou suas observações sobre os fatos espíritas.

                (...) Os fenômenos observados : Levitações, psicografia, telecinesia, materializações e aparições luminosas de objetos foram colocados como fatos incontestáveis, que mereceriam uma laboriosa série de experiências e elaborações teóricas de acordo com as mais recentes descobertas científicas.

                Para alguns outros convertidos, como Arthur Conan Doyle, o desabar da muralha entre o mundo dos mortos e dos vivos; os fatos que comprovam de forma cabal a sobrevivência após a morte e a comunicação entre mortos e vivos deveriam conduzir a uma grande transformação e esperança para o gênero humano pela formação de uma nova e atual expressão religiosa que levasse os homens a uma existência mais espiritualizada.

                Cientistas de renome na Itália também passaram a integrar o conjunto de estudiosos dos chamados fenômenos psíquicos. Shiaparelli, Chiaia, Brotasi, Lombroso e Bozzano fizeram parte dessa galeria. Ernesto Bozzano destacou-se nesse grupo dedicando trinta anos às pesquisas psíquicas. Publicou inúmeros trabalhos científicos sobre o assunto, expondo os princípios básicos que o levaram a aderir à hipótese espírita por ser uma “necessidade lógica”.

                Uma das conversões mais intrigantes do final do séc. XIX foi a de Cesare Lombroso, médico, higienista, psiquiatra e antropólogo. Seus famosos estudos estavam na área da Antropologia Criminal, nos quais revelava sua incondicional adesão aos de investigação científica positiva de sua época. Estudava homens e fatos numa mesma perspectiva, como ponto de partida do método experimental. Estabeleceu uma teoria em que expunha a Gênese Natural do Delito e as bases do sistema penal positivo, associando Direito Penal e Antropologia Criminal.

                (...) Durante muitos anos, negou os fenômenos psíquicos e espirituais como charlatanice e credulidade simplória. Porém, após assistir a algumas sessões mediúnicas realizadas por Eusápia Paladino, e verificando a veracidade e autenticidade da produção dos fenômenos e das manifestações espirituais, Lombroso começou suas pesquisas.

                Em 15 de julho de 1891 foi publicada uma carta onde declarou sua rendição aos fatos espirituais : Estou muito envergonhado e desgostoso por haver combatido com tanta persistência a possibilidade dos fatos chamados espiríticos; digo fatos, porque continuo ainda contrário à teoria. Mas os fatos existem, e deles me orgulho de ser escravo.

                No desenvolvimento de suas observações e estudos, Lombroso caminhou na direção de aceitar a interferência e influência de seres espirituais sobre as manifestações e os fenômenos produzidos. Em 1909 publicou “Hipnotismo e Mediunidade”, onde descreveu, de forma categórica e imbuída do mais ortodoxo espírito científico, os resultados de seus estudos, diante das hipóteses espíritas e de sua veracidade e lógica.

                (...) Também na Alemanha foram realizadas experiências científicas da sobrevivência após a morte. Faziam parte do grupo de especialistas, entre outros, Johann Karl Friedrich Zöllner, professor de física e astronomia da Universidade de Leipzig e elaborador da hipótese da teoria sobre a quarta dimensão do espaço; professor Wilhelm Edward Weber, de física e autor da doutrina da Vibração das Forças; Schneiber, matemático de renome na Universidade de Leipzig; Gustav Friedrich Fechner, físico e filósofo na mesma Universidade. Este grupo publicou em 1879 o resultado de suas pesquisas. Para eles tratava-se de uma Nova Ciência baseada em outra classe de Fenômenos Físicos, provando a existência e um outro mundo de seres inteligentes. Liderados por Zöllner, realizaram experiências com o famoso médium americano Henry Slade. Ocorreram materializações, levitações, aparições, psicografia de mensagens, que foram meticulosamente observadas, descritas e estudadas. Submetidos a considerações teóricas, os fenômenos observados revelavam uma dimensão científica e verdadeira, como um dos elementos fundamentais para a construção da teoria do espaço em quarta dimensão e da sobrevivência espiritual.

                (...) É muito grande a galeria de cientistas ilustres dessa época seduzidos pelos fenômenos espíritas, realizando estudos, pesquisas, construindo teorias e revelando sua adesão, em maior ou menor grau, às novas crenças. Em vários países europeus e do continente americano, esses estudos apontam um mesmo caminho, que marcou a história do pensamento contemporâneo : A necessidade de comprovar pelos argumentos científicos aquilo que antes estava no domínio da fé religiosa”.

Artigo obtido da FEB.



                Einstein, um dos maiores Cientistas de todos os tempos, disse certa vez : "A percepção do desconhecido é a mais fascinante das experiências. O homem que não tem os olhos abertos para o misterioso, passará pela vida sem ver nada". É dele também a frase : "Estamos começando a conceber a relação entre a ciência e a religião de um modo totalmente diferente da concepção clássica. Afirmo com todo o vigor que a religião cósmica é o móvel mais poderoso e mais generoso da pesquisa científica".

                O Espiritismo, por sua vez, caracteriza-se por abordar, ao mesmo tempo, o fator Religioso, Científico e Filosófico, tornando-se assim uma Doutrina completa e bem fundamentada. Os fatos a seguir têm como maior finalidade, examinar o relacionamento do Espiritismo com a Ciência, e mostrar que, já em nossos dias, eles caminham muito próximos e apenas um fino véu os separa diante dos nossos olhos.

                O objetivo deste Estudo é mostrar que a Teoria Espírita não parte de ideias preconcebidas e imaginárias ; é fruto de um árduo trabalho de Pesquisa das inter-relações entre matéria e Espírito. Para tanto, procede da mesma forma que as Ciências Naturais.

                O Espiritismo entra nesse processo histórico dentro de uma característica sui generis, ou seja, enquanto a Ciência propicia a revolução material, o Espiritismo deve propiciar a revolução moral. É que Espiritismo e Ciência se completam reciprocamente ; a Ciência, sem o Espiritismo, se acha na impossibilidade de explicar certos fenômenos só pelas leis da matéria ; ao Espiritismo, sem a Ciência, faltariam apoio e comprovação. O estudo das leis da matéria tinha que preceder o da Espiritualidade, porque a matéria é que primeiro fere os sentidos. Se o Espiritismo tivesse vindo antes das descobertas Científicas, teria abortado, como tudo quando surge antes do tempo. ( Kardec, 1975, p. 21 )

                A Ciência aumentou sobremaneira a capacidade de instrumentalização do homem. Desenvolvendo tecnologias avançadas, liberou a mão-de-obra para atuar na área de serviços e Pesquisas Científicas. À medida que a Ciência avança, o indivíduo fica com mais tempo livre. Os Princípios Espíritas auxiliam não só a dar uma direção ao tempo livre do homem como também na criação e na utilização da nova tecnologia. Sem uma clara distinção entre o bem e o mal, podemos enveredar todo o nosso progresso Científico para a destruição do nosso Planeta.

                O Espiritismo surgiu no momento oportuno, quando as Ciências já tinham desenvolvido o método teórico-experimental, facilitando a sua aceitação com mais naturalidade. Sabe-se que cada um deve progredir por si mesmo, descobrindo as suas próprias verdades. Porém, a presença de um Professor diminui o tempo que levaríamos, caso quiséssemos descobrir tudo por nós mesmos. O Espiritismo é esse Professor que nos estimula o pensamento na busca da verdade e na prática da caridade como meio de salvação de nossas almas.

                Apenas como observação, foi constatado pelo IBGE que os Espíritas têm o mais alto nível de Escolaridade. Os seguidores de Allan Kardec estudaram, em média, 9,6 anos, contra 5,65 anos dos sem Religião. A maioria Católica ( 73,7% dos brasileiros ) estudou 5,78 anos e os Evangélicos Pentecostais têm o nível escolar mais baixo com 5,3 anos de estudo. "Os Espíritas têm uma prática religiosa muito ligada à leitura, à Filosofia. Já os Pentecostais têm a menor escolaridade, o que mostra seu avanço entre pessoas de nível social mais baixo", afirma Nilza Oliveira, analista do IBGE. ( O Globo e Folha-SP, 21.12.02 ). Esse Artigo foi novamente divulgado, em 28.06.03, na Folha-SP OnLine. Em 29.08.07, houve novas versões deste assunto, no mesmo Jornal Folha-SP, conforme imagens abaixo :



Folha de São Paulo - Espíritas têm renda e escolaridade maiores

Folha de São Paulo - Espíritas têm rendimento maior que Evangélicos, diz IBGE

                Por oportuno, vale lembrar aqui as pesquisas do Dr. Ian Stevenson, Psiquiatra americano, respeitadíssimo do ponto de vista de rigor científico e credibilidade a nível mundial, o qual tem se dedicado, praticamente toda a sua vida, às investigações relativas à Reencarnação. São quase 40 anos de pesquisas científicas com milhares de casos identificados em todo o mundo, ralativas a crianças que se lembram de suas vidas passadas. Não sendo Espírita nem crente na Reencarnação, os fatos começaram a despertar nele a curiosidade e vontade de pesquisar.

                Hoje, aos 83 anos de idade, esteve recentemente no 4º Simpósio «Aquém e Além do Cérebro» organizado pela Fundação Bial e que decorreu na «Casa do Médico» no Porto, Portugal, tendo concedido preciosa entrevista à Revista «Notícias Magazine», que sai juntamente com os jornais «Diário de Notícias» e «Jornal de Notícias». Stevenson acha que se pode acreditar na Reencarnação com base em provas. Com mais de meia vida à procura de crianças que recordam vidas anteriores, colecionou perto de 3 mil casos, alguns impressionantes.

                Stevenson sabe que é ignorado por alguns dos seus pares, mas o seu trabalho é espantoso. Dos 14 livros publicados, as demonstrações para que os mais racionais acreditem na Reencarnação são fantásticas.

                Um dia, quando as pessoas se conscientizarem desta realidade, haverá profunda alteração no tecido social do planeta, já que o homem sabendo que o seu futuro dependerá do seu agir de agora, não mais fará a guerra, deixará de ser xenófobo, racista, deixará de desprezar o pobre ou o marginal ou a pessoa do outro sexo, deixará de poluir a natureza, pois saberá que na próxima existência ele poderá passar pelas situações até então desprezadas para aprender a valorizá-las dentro da vida como experiências importantes para todos nós.

Parte dos Textos acima foi obtida de :

Notícias Magazine, 02 Junho 2002, Portugal, «A reencarnação com base em provas».



                Finalmente, para ilustrar esse paralelo entre a Ciência e o Espiritismo, faremos um resumo do Programa Globo Repórter, apresentado em Set/02, no Sistema Globo, o qual investigou fenômenos que a cada dia intrigam mais a Ciência e que abordam os Tratamentos Espirituais.



SAÚDE PARA O CORPO E A MENTE



Médico Sérgio Felipe de Oliveira

     1) Médicos que trabalham em um Instituto de Pesquisas, em São Paulo, dizem que o Tratamento Espiritual ajuda no Tratamento Clínico. O Instituto, comandado pelo Psiquiatra Sérgio Felipe de Oliveira, é uma Clínica de saúde mental que não cuida apenas do corpo e da mente, cuida da alma também.


Instituto de Pesquisa - SP

     2) A parte mais surpreendente dos tratamentos funciona no sub-solo do prédio. Os pacientes que passam pelos divãs e ambulatórios são encaminhados depois para o Centro.



Passes

     3) Uma sessão de passes dentro de uma Clínica. A diferença para uma Sociedade Espírita é que, neste caso, os pacientes são pesquisados por seus Médicos. Segundo o Doutor Sérgio Felipe, este modelo de tratamento também está sendo estudado pelo Ministério da Saúde dos Estados Unidos.



Médico Sérgio Felipe de Oliveira

     4) "A Prece, a imposição das mãos e o dom Espiritual, ou Mediunismo, são utilizados por todas as Religiões. Então, se nós estamos fazendo pesquisa sobre o efeito do Tratamento Espiritual, Ele tem que ser produtivo em que contexto ? No Religioso ou Científico", observa o Psiquiatra.



Passes

     5) Segundo o Doutor Sérgio Felipe, esse casamento da Medicina com a Espiritualidade, pelo menos no Instituto, está dando certo. Ele está convencido de que só medicação e psicoterapia não resolvem tudo.


Médico Sérgio Felipe de Oliveira

     6) "Entre os casos de depressão, 80% são curados com as medicações e psicoterapia. Os outros 20% não se curam. Então, quando você soma o Tratamento Espiritual, você amplifica as possibilidades de melhora do paciente", avalia o Médico.




TERAPIAS DE REGRESSÃO



Terapia de Regressão

     1) Viagens a um passado que transcenderia ao nosso corpo físico. Teria a nossa memória um arquivo secreto de momentos que não experimentamos nesta vida ? O homem carrega com ele lembranças de vidas passadas ? Especialistas em Terapias que utilizam a Técnica da Regressão estão tentando desvendar esse mistério.


Mapeamento cerebral durante as Terapias de Regressão

     2) Os Psicólogos paulistas Manoel Simão e Júlio Peres fizeram o mapeamento cerebral de alguns dos seus pacientes, durante as sessões de Regressão, usando aparelhos de tomografia computadorizada. Foi uma experiência inédita. E o que revelaram os exames ?


Mapeamento - Área do cérebro ativada

     3) "A área do cérebro ativada quando os pacientes entram em uma hipotética vida passada é a da memória. A parte que comanda os circuitos da imaginação, durante a Regressão, não entra em atividade", garante o Psicólogo.


Psicólogo Júlio Peres

     4) "As vias neurofisiológicas utilizadas para o resgate de memórias traumáticas de vida atual foram também utilizadas para o resgate de situações traumáticas de vidas passadas - supostas vidas passadas. Os circuitos neurofisiológicos que estão relacionados à fantasia, são outras estruturas", explica o Psicólogo Júlio Peres.


Psicólogo Júlio Peres

     5) Sentir, mergulhar em uma memória desconhecida sem perder a consciência. Isso seria mesmo possível ? "Não importa o nome que se atribua a esse conteúdo. De fato, ele é verdadeiro, genuíno para o paciente, porque ele dispara emoções. E o paciente se liberta de dificuldades a partir do resgate dessas situações", explica o Psicólogo Júlio Peres.




DESAFIO À CIÊNCIA



Doutor Roque Savioli

     1) Para homens acostumados a verdades Cientificas, não é fácil. Como acreditar em fenômenos que a Medicina não explica ? O Doutor Roque Savioli, Católico, é um Cardiologista que acredita em milagres. Diretor do Incor ( Instituto do Coração de São Paulo ), Ele diz que a Fé o transformou em um Médico melhor.


Doutor Roque Savioli

     2) "No momento que eu tive um encontro com Deus, modifiquei a minha vida. Aí eu tive que encarar o doente como corpo e Espírito", conta o Médico. Foi assim que o Doutor Savioli começou a perceber e valorizar situações que muitas vezes passavam despercebidas.




CÉREBRO EM TRANSE


Psiquiatra Sérgio Felipe e o Neurologista Sebastião Alvernaz

     1) A equipe do Globo Repórter acompanhou o trabalho de dois especialistas : O Psiquiatra Sérgio Felipe, do Instituto de Saúde Mental de São Paulo, e o Neurologista Sebastião Alvernaz, da Escola Paulista de Medicina. Eles estudam as reações de um cérebro em transe.


Mapeamento Cerebral do Médium

     2) O aparelho de eletroencefalograma, de última geração, faz o mapeamento cerebral. Para que o exame dê certo, o Médium não pode ser portador de nenhuma doença psíquica, como a epilepsia, por exemplo. Os Médicos só querem registrar as interferências Espirituais.


Eletrodos no Mapeamento Cerebral

     3) O Doutor Sérgio Felipe pediu ao suposto Espírito incorporado no Médium para emitir sinais que pudessem ser identificados no aparelho. O Médium atendeu e o aparelho começou a registrar os sinais. Até os abalos musculares captados pelos sensores são pesquisados. O especialista consegue analisar cada movimento.


Eletrodos no Mapeamento Cerebral

     4) "Pode ser simplesmente um abalo muscular do Médium, mas pode ser também que a atividade eletroencefálica registrada tenha desencadeado esses abalos. Isso não é normal. Se você gravar uma pessoa que não tenha epilepsia, ela não apresenta isso", revela o Neurologista Sebastião Alvernaz.


Resultados do EEG - Eletroencefalograma

     5) Segundo os Pesquisadores, os resultados dos exames indicam que o transe provoca estranhas alterações no cérebro. "Há indícios de que altera, mas não é só eletroencefalograficamente. Altera ritmos cardíacos e outras funções do chamado sistema nervoso autônomo", revela o Psiquiatra Sérgio Felipe.



CIÊNCIA ESTUDA FENÔMENOS



Hospital da Clínicas - SP

     1) O estudo dos fenômenos era restrito às Religiões. Hoje, começa a despertar interesse de algumas áreas da Ciência. O Hospital das Clínicas de São Paulo criou um Núcleo de Estudos para tentar comprovar a interferência Espiritual no nosso corpo.


Psiquiatra Franklin Ribeiro

     2) São Psiquiatras experientes que se reúnem duas vezes ao mês para avaliar o andamento das Pesquisas e trocar informações. "Existe uma resistência muito grande e muito preconceito. A existência desse grupo é justamente fazer Pesquisas no sentido de comprovar esses fenômenos de uma maneira estruturada", conta o Psiquiatra Franklin Ribeiro.


Federação Espírita de São Paulo

     3) Uma das fontes de pesquisa, do Psiquiatra Franklin Ribeiro, fica em um prédio de nove andares. No local, funciona a Federação Espírita de São Paulo. A Federação é uma espécie de Universidade Espiritual. Mais de 11 mil pessoas estudam lá. São alunos da Doutrina Espírita e das Pesquisas sobre os fenômenos atribuídos ao Espiritismo.


Federação Espírita de São Paulo

     4) O Doutor Franklin foi acompanhar um trabalho de desobsessão - um ritual semelhante ao que os Católicos chamam de exorcismo. Muitas daquelas pessoas se dizem perseguidas por espíritos ruins, inimigos ocultos, que já morreram e que estariam perturbando os vivos. Como se livrar deles ? Tarefa para os Médiuns.


Federação Espírita de São Paulo

     5) Em uma corrente de orações, eles cercaram a vítima e tentaram atrair o suposto obsessor. De repente, uma Médium se transformou. Os que conhecem o processo explicaram que ela acabara de incorporar o espírito atormentado. Começava um trabalho de convencimento. Às vezes, segundo os especialistas da Doutrina, o espírito insiste em continuar perturbando.


Psiquiatra Franklin Ribeiro

     6) O Doutor Franklin assistiu a tudo com a curiosidade de um Pesquisador. Mas que contribuição essas manifestações podem trazer ao mundo Acadêmico da Medicina ?   "Antigamente, qualquer manifestação Religiosa e Espiritual era vista pelos Médicos como alguma coisa doentia. Hoje, nós estamos podendo observar esses fenômenos e investigar. Sabemos que as pessoas que têm essas manifestações nem sempre são doentes mentais", diz o Psiquiatra.



SEGREDOS DO CÉREBRO



Cérebro e a glândula Pineal

     1) O grande desafio dos Pesquisadores é descobrir se os Espíritos se comunicam com o homem. O Doutor Sérgio Felipe, do Instituto de Saúde Mental de São Paulo, acredita que a Ciência avança na busca desta explicação. Ele estudou em detalhes a glândula pineal do ser humano. Descobriu que ela carrega pequenos cristais.



Médico Sérgio Felipe de Oliveira

     2) Para o Psiquiatra, essas pedras funcionariam como antenas na captação de mensagens de um outro plano. Observação importante : O Doutor Sérgio notou, em repetidos exames de ressonância magnética, que os Médiuns carregam no cérebro uma quantidade maior desses cristais.


Cérebro e a glândula Pineal

     3) "Não há pessoas que não tenham esses cristais. O que eu tenho observado é que há pessoas que têm uma quantidade grande desses cristais. E não depende da idade. Essas pessoas, em tese, teriam capacidade maior de seqüestrar o campo magnético", explica o Doutor Sérgio Felipe.


***************


E depois de alguns anos, a Globo volta a mostrar novas Reportagens sobre Reencarnação, Desprendimento do Corpo, Curas Espirituais, etc, envolvendo Médicos e Especialistas no assunto. Vamos aos fatos :


GLOBO REPÓRTER - SISTEMA GLOBO DE PRODUÇÕES - MAIO DE 2006

Globo Repórter - Ciência e Espíritualidade

Segue abaixo, apenas um resumo da Reportagem. Quem quiser ver a matéria completa, poderá acessar o link a seguir:

Globo Repórter - Ciência e Espiritualidade



Globo Repórter - Ciência e Espíritualidade
Globo Repórter - Ciência e Espíritualidade


Nossos repórteres acompanham um curioso teste: será que é possível sair do corpo durante o sono?

Terapia de vidas passadas. Saiba de que maneira as compulsões e angústias dos dias de hoje poderiam ser resultados de dramas vividos há muitos séculos.

E ainda: duas pessoas que tiveram experiência de quase morte revelam o que viram enquanto permaneciam em estado de coma.


VIAGEM ASTRAL

Experiências com a TVP- Terapia de Vidas Passadas

Para a maioria das pessoas, sair do corpo é um desafio impensável. Mas para a psicóloga Marina Thomaz e para a professora Ana Maria dos Santos não. Elas eram crianças quando fizeram os primeiros passeios, na chamada viagem astral.

"Eu posso sair daqui e ir até a sua casa. Posso sair daqui e ir até a casa dos meus pais, dos meus filhos, fazer uma visita. Tudo isso é factível", garante Marina.

"A palavra 'consegue' deixa uma distância muito grande. Não é uma questão de conseguir. É com que freqüência eu faço isso. Todas as noites", afirma Ana Maria.

A pedido do Globo Repórter, elas vão repetir um estudo feito há dez anos no Instituto do Sono, na Universidade Federal de São Paulo (Unifesp). Os pesquisadores quiseram saber o que acontece com as funções vitais de quem diz ser capaz de se projetar e sair do corpo.

A pergunta do Instituto do Sono era : "Será que durante um procedimento onde há projeção existe alguma alteração do traçado eletroencefalográfico ?", diz o professor de psicobiologia da Unifesp Marco Túlio de Mello.

O interesse de cientistas pela espiritualidade tem aumentado nos últimos anos. Dois pesquisadores vasculharam 1,2 mil trabalhos científicos sobre o tema em todo o mundo. Uma hipótese : diante do desconhecido, algumas pessoas seriam geneticamente mais pré-dispostas do que outras a crer e ter fé.

"Alguns cientistas já estão começando a falar que a gente deve ter herdado circuitos biológicos associados à fé. Agora, como todos os seres humanos são bem diferentes uns dos outros, talvez um ateu não tenha herdado esses circuitos e não esteja capacitado biologicamente a crer, a transcender, a perceber o divino", diz o fisiologista Marcelo Árias, do Centro Universitário Monte Serrat (Unimonte).

Os testes mostraram que o sono de quem diz sair do corpo é igual ao de qualquer pessoa. Mas, na experiência feita há dez anos, Ana Maria acertou todos os objetos que estavam escondidos numa outra sala e convenceu os pesquisadores de que a projeção é um fenômeno possível.

"Eu acho que a grande busca do cientista é desenvolver a metodologia. O fenômeno está relatado, as pessoas vêem, escrevem, mostram e nós o observamos de longe. Mas quantificar esse fenômeno é muito difícil para nós", diz o professor de psicobiologia da Unifesp Marco Túlio de Mello.


=======================


A EXPERIÊNCIA DE QUASE-MORTE

Out of the Body

Luz no fim do túnel : saída ou porta de entrada para uma outra vida ? As visões de quem esteve à beira da morte são impressionantes. A empresária Marisa Cruz Brillinger e o advogado Solon Michalski não esperam que alguém acredite no que eles viram do outro lado. Mas estão convencidos de que voltaram diferentes. "Eu tive a tal viagem que é muito conhecida: a viagem pelo túnel. A descrição é comum", conta Solon.

Naquela manhã, algo dizia que Marisa tinha de pedalar no Parque Ibirapuera, em São Paulo. E veio o inesperado. "Eu andei menos de 500 metros e tive uma dor alucinante no lado direito da minha cabeça. Eu me lembro da viatura, mas não do Fernando. Eu fiquei sabendo dele através de uma amiga minha", diz a empresária.

Desacordada, em coma, numa UTI. E, ao mesmo tempo, partindo para uma viagem surpreendente. "Cheguei num lugar cinza. O ar era pesado, parecia que tinha uma névoa. E tinha um homem muito grande, um guerreiro. Aí, comecei a falar com ele. Pedi perdão ao general. Mas ele não me olhava", conta Marisa.

A empresária diz ter regredido a uma outra vida, por causa de algo ruim que fez no passado. "Eu não era leal. Articulei batalhas para ele, mas eu articulei matá-lo. E a morte foi a punhaladas", acredita. Tudo teria acontecido há 4 mil anos.

Marisa voltou do coma cheia de histórias. E, para a surpresa dos médicos, sem nenhuma seqüela do derrame. "Quando eu cheguei no quarto para conversar, ela se encontrava sentada no sofá, e o marido estava sentado na cama. Foi uma surpresa – ela estava arrumada e bonita. E isso me surpreendeu", diz o cardiologista Rodrigo César Bazzo.

A chamada experiência de quase morte tem se tornado mais comum à medida em que a medicina avança. Técnicas de ressuscitação do coração e dos pulmões permitem o socorro de pacientes que, há algumas décadas, dificilmente, voltariam à vida. Médicos que trabalham em UTIs ouvem histórias ricas em detalhes. Relatos de pessoas que não admitem a possibilidade de terem tido alucinações.

"Elas falam que isso foi a coisa mais real que já viveram na vida. E é isso que diferencia de uma experiência conduzida por uso de drogas, seja abusivo ou terapêutico", ressalta o neurocirurgião Paulo Porto de Mello, da Universidade Federal de São Paulo (Unifesp).

Quem passa por essa experiência conta que, em algum momento da viagem, se vê diante de um filme, com um roteiro bem familiar. Um resumo da própria vida projetado numa tela imaginária. Cenas do que foi feito de bom e de ruim até aquele instante. O filme traz, em si mesmo, uma revelação : ainda não está pronto. E voltar à vida é a chance de escolher o melhor final para essa história.


=======================


FÉ NO ESPIRITISMO

Estudante Gabriel Falcão

Reencarnação

Um menino com nome de anjo e uma história incomum. Seria o estudante Gabriel Falcão o espírito de um tio, que nem chegou a conhecer este mundo? Ele é filho do escritor Waldemar Falcão e neto da corretora de imóveis Nélia Campello Falcão. Quando estava para nascer, uma médium fez uma revelação intrigante : a chegada do menino seria o retorno de um filho que dona Nélia, a avó, perdeu no passado.

"Este filho que você não teve está voltando como seu neto. E preste atenção: quando ele nascer, vai ter olhos muito bonitos, para compensar os olhos que ele perdeu quando você pegou sarampo", conta Waldemar.

A médium não sabia nada da vida de dona Nélia, mas acertou em cheio. Nos anos 50, ela teve sarampo durante uma gravidez e acabou sofrendo um aborto. E o que dizer dos olhos de Gabriel?

A crença de que ele é a reencarnação do espírito daquele bebê consola e reforça os laços da família com o Espiritismo.

"Um dia por mês fazemos uma oração para nossos ancestrais, porque nós esquecemos que viemos deles", diz dona Nélia. Ela lembra o dia em que a vidente a chamou : "Foi uma euforia, porque meu filho havia voltado".

"Eu acredito nisso piamente porque sou espiritualista. Essa informação veio de uma forma completamente espontânea, sem que fôssemos especular ou buscar", conta Waldemar.

Desde pequeno, Gabriel se acostumou a ouvir que seria neto e, ao mesmo tempo, filho da avó – filho e também e irmão do próprio pai.

"Eu acredito totalmente. É extraordinário, mas é verdade. Pode acontecer, e aconteceu", comenta Gabriel.


=======================


CURA ESPIRITUAL

Sociedade Espírita Frei São Luiz - RJ

Sociedade Espírita Frei São Luiz - Rio de Janeiro

Casos assim fazem parte da história de um lugar como o Lar de Frei Luiz, em Jacarepaguá, no Rio de Janeiro. Uma impressionante quantidade de pessoas vão ao local todas as semanas.

Só nas quartas-feiras, são 4 mil. Buscam mensagens de parentes mortos, respostas para o mundo dos vivos e um pouco de conforto. Às vezes, os problemas são simples, do dia-a-dia, que uma voz amiga ajuda a resolver.

Mas a Sociedade Espírita ficou conhecida por atender casos mais graves, doentes para quem os médicos já não dão esperança. São pacientes que se apegam à possibilidade de que a cura venha de um outro mundo – do mundo espiritual.

O médium mais respeitado no centro é quem atende doentes desenganados, na maioria vítimas de câncer e Aids. Ele aceita falar, mas não quer aparecer. Diz que é apenas um intermediário, um corpo usado por outro espírito para trabalhar.

"Nós trabalhamos com o doutor Frederick, um médico alemão que faz as cirurgias sem usar absolutamente nada", diz o médium.

O dentista Alexis Lima Jr. foi atendido pelo médium há seis anos, operado por ele numa cirurgia espiritual. Ele guarda até hoje as radiografias da medula. Exames que mostram um enorme tumor que tinha se alojado na coluna. Imagem do medo de não poder mais andar.

"Eu estava sentindo um desconforto muito intenso, a ponto de tomar banho quente, bater na perna e sentir a perna gelada. Os sinais nervosos totalmente loucos de tanta compressão na medula", conta o dentista.

Alexis procurou toda a ajuda possível. Fé e ciência; medicina e cura espiritual, trabalhando juntas. O atendimento no Lar de Frei Luís aconteceu uma semana antes da operação no hospital. E Alexis ficou impressionado com o que viu no Centro Espírita.

"Um manto branco exatamente do meu lado direito e aquela mão colorida em cima do meu peito, exatamente onde estava o problema. Eu não falei nada para ninguém. E aquele colorido ficou ali, mudando de cor em cima de mim", lembra Alexis.

O médium explica que Alexis presenciou a materialização de uma entidade, o médico alemão Frederick von Stein. O colorido nas mãos do médico seria uma espécie de magnetismo usado por ele para fazer as curas.

Cirurgias Espirituais - Resíduos

Repórter é submetido a Tratamentos Espirituais

No meio da entrevista, o médium faz um convite inesperado : "Se ele ( o repórter Sandro Dalpícolo ) quiser, pode passar por uma prova. A gente não pode filmar nada. Você deitaria aqui e o Frederick faria uma retirada de carga do seu corpo físico. Não é cirurgia, não é tumor, nada disso – é uma retirada de carga do seu corpo físico".

O médium garante que não haverá nenhum corte e o repórter resolveu aceitar a proposta. A partir de então, a pedido do médium, o repórter se deitou em uma cama, tirou a camisa social e o microfone, e passou por essa experiência de um atendimento espiritual. A pedido dele, o atendimento não pôde ser filmado.

Na escuridão, não foi possível ver muita coisa. As mãos do médium passaram sobre o corpo do repórter Sandro Dalpícolo, sem tocá-lo. Até que chegaram ao coração.

"A sensação é de que o atendimento durou menos de um minuto. Quando eu voltei, a camiseta estava toda manchada. Tive a sensação de que a região do coração foi bastante pressionada, como se um bisturi passasse pelo peito, mas sem dor nenhuma. Depois, uma sensação de um líquido gelado se espalhando. E a camiseta ficou machada", conta Sandro Dalpícolo.

Depois do atendimento, o médium disse ter resolvido um pequeno problema numa válvula do coração do repórter. Segundo ele, o líquido avermelhado que manchou a camiseta não é sangue. Mas como ele apareceu ? E de onde veio ?

Para os espíritas, foi a materialização das energias ruins que o corpo carregava. Para a equipe do Globo Repórter, tudo ainda é um grande mistério.

Alexis tem uma certeza : O atendimento dos espíritos ajudou a medicina tradicional a livrá-lo do tumor. "Só que, depois do tratamento, a entidade mandou me avisar que foi feito em mim um tratamento para encapsular e facilitar a cirurgia no plano material. O médico espiritual, doutor Frederick, fez um pré-operatório", diz o dentista.

A operação no hospital, que seria demorada, acabou se tornando mais simples do que o médico imaginava. "A previsão do médico era de seis a oito horas de cirurgia. Ela durou três horas e meia", conta Alexis.

Ninguém paga nada pelo atendimento espiritual. É tudo de graça. Mas a cura tem o seu preço. E a moeda é uma mudança de atitude.

"Quem se cura tem que demonstrar para a espiritualidade que realmente houve uma modificação interna no seu espírito e na sua modalidade de ser, na sua vida íntima. E isso faz com que a cura seja mais rápida, senão pode haver um retrocesso grande", explica o médium do Lar Espírita Frei Luiz.

A estimativa é que Espiritismo tenha perto de 30 milhões de simpatizantes no Brasil. A maioria segue outras religiões, mas encontra na doutrina espírita solidariedade e esperança.



MATÉRIA COMPLETA EM :

http://globoreporter.globo.com/Globoreporter/0,19125,VGC0-2703-10415-2-167586,00.html


***************


De tempos em tempos, a Globo volta a mostrar novas Reportagens sobre Reencarnação, Desprendimento do Corpo, Curas Espirituais, Conscienciologia, etc, envolvendo Médicos e Especialistas no assunto :


GLOBO REPÓRTER - Novembro de 2013

Globo Repórter - Ciência e Espíritualidade

Segue abaixo, apenas um resumo da Reportagem. Quem quiser ver a matéria completa, poderá acessar o link a seguir:

Globo Repórter :
Ciência, Conscienciologia e Espiritualidade



Quem explica o inexplicável?

Repórter Dulcinéia Novaes relata como foi a experiência durante a produção do programa.


Nossos repórteres acompanham um curioso teste : Será que é possível sair do corpo durante o sono?

Fenômenos paranormais, transes mediúnicos, cirurgia espirituais com e sem o toque das mãos. Mergulhamos num mundo complemante diferente, um tanto ou quanto irreal. Entre crenças e descrenças. Gente que acredita piamente em vida após a morte. Gente que estuda e cria novas denominações tais como"dessoma",(morte do corpo físico), ou experiências extra físicas, quando há a projeção para fora do corpo. Gente sendo cortada sem anestesia e que não sente a mínima dor.

Que fenômenos seriam estes? Tentamos descobrir, garimpar algumas respostas para situações tidas como inexplicáveis. Na Faculdade Espíritia de Curitiba, os pesquisadores buscam explicações para determinados fenômenos. Investigam vozes do além e situações assombrosas com o uso de equipamentos eletrônicos. E até um termômetro especial é um dos dispositivos para verificar a presença de supostas forças estranhas num determinado ambiente. Uma câmara escura, com um espelho, é um dos recursos para ajudar uma pessoa a reduzir a tristeza do luto.


João de Deus - Goiás

Em Abadiânia, outra cidade do interior goiano, quem atrai milhares de pessoas de todo o mundo é o médium João de Deus. Impressionante a quantidade de visitantes de outros países. Gente que vai em busca de socorro espiritual, de cura para os os males do corpo e da alma. Há muitos brasileiros que relatam terem sido milagrosamente curados de doenças graves, depois que estiveram em Abadiânia, na presença do médium João. Resultado da fé? Poderes mediúnicos? Qual a explicação? Um homem simples, um tanto ou quanto reservado e que tem fiéis seguidores. Assim é João de Deus, o médium que encantou a apresentadora americana Oprah Winfrey. Um Centro Espírita frequentado por celebridades nacionais e internacionais. No jardim da casa sob o busto reverenciado do líder espiritual Dom Inácio de Loyola lê-se a seguinte frase : "Para quem acredita, nenhuma palavra é necessária; para quem não acredita, nenhuma palavra é possível".

Na pequena cidade de Palmelo, interior de Goiás, a maior surpresa foi encontrar quase toda a população voltada para a Doutrina Espírita. Pessoas que vivem 24 horas os ensinamentos de Allan Kardec. Entre elas uma professorinha aposentada, figura delicada, franzina, que fez viagens astrais (fora do corpo físico) enquanto dormia, a 20 moradas espirituais. Segundo Vania Damo, as colônias espirituais estariam espalhadas por todo o planeta. A experiência dessas viagens ela relatou num livro.

A professora Vânia contou que emagreceu sete quilos durante o período em que fez as viagens. Na véspera e no dia seguinte, ela não sentia fome : "Sentia-me saciada", nos confidenciou. E a colônia que mais a impressionou foi a das crianças : "muito linda, muito colorida, igual um parquinho de diversões. Tinha bercinhos também. Me encantei a tal ponto que quase não queria voltar". Segundo a professora as viagens, pré-autorizadas pelos mestres do mundo espiritual, duravam em média 15 minutos. Não havia diálogo, mas era uma visita guiada por um espírito de luz.

O atual presidente do Centro Espírita Luz da Verdade, Barsanulfo Zaruh, que vive em Palmelo desde a infãncia, hoje comanda as 28 equipes de médiuns. O lema maior é a caridade. Motivo pelo qual nos dias de sessões a cidade de Palmelo recebe um grande número de pessoas de todo o Brasil. E quem tem indicação para cirurgia espiritual, não precisa se deslocar. É atendido nas pousadas e hotéis.


Conscienciologia - Foz do Iguaçu-PR

E o que dizer de uma comunidade que vive para estudar os chamados fenômenos parapsíquicos? Em Foz do Iguaçu, Waldo Vieira, mineiro de Monte Carmelo, que trabalhou com Chico Xavier, integrante do movimento espírita durante 28 anos, lidera um grupo de estudiosos dos chamados fenômenos parapsíquicos e paranormais. No Centro Internacional de Altos Estudos da Conscienciologia, do qual é fundador, Vieira mantém uma biblioteca gigantesca, com mais de 300 coleções, 80 mil obras selecionadas sobre o tema. Os estudiosos do CEAEC estão elaborando uma enciclopédia com milhares de verbetes relacionados à Conscienciologia e Projeciologia, duas ciencias das quais Waldo Vieira se auto intitula autor.

Ele também prega a teoria da descrença, a "Descrenciologia". E é categórico ao dizer : "Não acredite em nada. Nem mesmo o que lhe informarem no Centro de Altos Estudos da Conscienciologia". Além disso desafia os seus seguidores a construirem pesquisas a partir das experiências pessoais.

Nessa jornada por cidades espíritas, transes mediúnicos, fenômenos sobrenaturais, a equipe vivenciou algumas pequenas situações curiosas, digamos, inusitadas : Luzes se acendendo sozinhas, microfones que não funcionavam mesmo ligados e testados exaustivamente, baterias descarregando vertiginosamente...

Seriam as chamadas forças ocultas? Ou simplesmente fruto da nossa imaginação? Afinal, quem explica ?!?

Acredite quem quiser...

Por : Dulcinéia Novaes - Repórter da Globo Produções.



Programa Globo Repórter - Conscienciologia e curas Espirituais.







Veja os contatos de quem participou do Programa :


FACULDADES INTEGRADAS ESPÍRITA - CURITIBA
Professor Reginaldo Hiaroka – Coordenador do Grupo de Parapsicologia
(41) 3155-7144
terradomar@yahoo.com.br
www.faculdadeespirita.com.br/cursos/livre/parapsicologia


CENTRO DE CONSCIÊNCIOLOGIA DE FOZ DO IGUAÇU (PR)
Professor Waldo Vieira
(45) 3525-2652
ceaec@ceaec.org



PALMELO (GO), A CAPITAL ESPÍRITA DO BRASIL
Barsanufo - Responsável pelo Centro Espírita
(64) 3694-1171
palmelo.paz@gmail.com
Endereço para as cartas psicografadas :
Médium Vânia Arantes Damo - R. Hilda Vilela, 495 - Palmelo (GO) CEP 75.210-000


MÉDIUM JOÃO DE DEUS
Casa Dom Inácio de Loyola – Abadiânia (GO)
(62) 3343-1254
contato@casadominacio-sul.com.br



UNIVERSIDADE FEDERAL DE JUIZ DE FORA (MG)
Núcleo de Pesquisa em Espiritualidade e Saúde (NUPES)
Professor Alexander Moreira de Almeida - Coordenador do NUPES
www.ufjf.br/nupes


SOCIEDADE BRASILEIRA DE CÉTICOS RACIONALISTAS
Professor Renato Marcos Endrizzi Sabbatini
www.ceticos.org





ARIZONA STATE UNIVERSITY, DOS ESTADOS UNIDOS, REVELA PESQUISAS SURPREENDENTES SOBRE A MEDIUNIDADE



Amazon.com - Books

Acesse, pelo link acima, a Livraria Amazon.com - Books

De acordo com uma reportagem de Robert Matthews para o Electronic Telegraph (4 de março de 2001), experiências realizadas na Universidade do Arizona, EUA, sob a direção do Prof. Gary Schwartz, evidenciaram que alguns médiuns realmente podem ter autênticos dons parapsicológicos e levantaram questões fundamentais acerca da continuidade da consciência após a morte do corpo.

Até agora a maioria dos cientistas considera a comunicação mediúnica e a consciência pós-morte como ingênuas fantasias, mas os testes com cinco supostos médiuns gerou expectativas de uma grande mudança de mentalidade. Os paranormais tiveram que contatar parentes falecidos de duas pessoas que não conheciam. Cada médium ficou uma hora num laboratório com uma das pessoas, porém sem nenhum contato corporal ou visual com ela. Os médiuns podiam fazer perguntas, mas as respostas das clientes foram limitadas a "sim ou não". No final, as informações foram avaliadas. Tudo foi registrado em vídeo.

Surpreendentemente, os médiuns tiveram êxito muito superior ao esperado, tendo acertado muitos detalhes particulares sobre a personalidade dos mortos, seu ambiente familiar e as circunstâncias dos óbitos. O acerto atingiu a média de 83%, tendo um dos paranormais chegado aos 93%. Como os médiuns não tiveram nenhum contato com as pessoas, os cientistas julgaram que não usaram técnicas de leitura fria ("cold reading"), normalmente adotadas por famosos mentalistas e pseudo-videntes. Um grupo com mais de 60 pessoas foi solicitado a tentar captar dados sobre os mortos, mas o índice médio de acerto foi de 36%, tendo um conseguido atingir os 54%. O estudo, que chamou a atenção dos cientistas que não acreditam em fenômenos parapsicológicos, foi publicado no Journal of the S.P.R - Society for Psychical Research.


A News Telegraph, de Londres, confirma a matéria, além de outras fontes :

http://www.telegraph.co.uk/news/main.jhtml?xml=/news/2001/03/04/wmed04.xml

http://philosophy.hku.hk/courses/cogsci/medium.php

http://www.rense.com/general8/para.htm


Para ler os detalhes da Experiência na íntegra, é só acessar :

Afterlife Experiments
http://www.openmindsciences.com/hbo-exp.htm



Dr. Gary E. Schwartz

GARY E. SCHWARTZ, Ph.D.

GARY E. SCHWARTZ, Ph.D. is professor of psychology, medicine, neurology, psychiatry and surgery at the University of Arizona and director of its Human Energy Systems Laboratory. After receiving his doctorate from Harvard University, he served as a professor of psychology and psychiatry at Yale University, director of the Yale Psychophysiology Center, and co-director of the Yale Behavioral Medicine Clinic. He has published more than four hundred scientific papers, edited eleven academic books, and is the co-author, with Linda G. Russek, Ph.D., of The Living Energy Universe.

Obs.: Gary E. Schwartz foi convidado como orador na convenção realizada pela P.A - Parapsychological Association, na St. John´s University, Parkway Queens, New York, USA, em 1974 :

http://www.parapsych.org/PA_convention_history.html





CIÊNCIA E ESPIRITUALIDADE : O DESAFIO PARA O TERCEIRO MILÊNIO



1. A Fé e o Ser Humano



                Lúcia Helena Oliveira, em um editorial da Revista Saúde/set-2001, diz : " Cada vez mais estudos apontam um elo entre acreditar em Deus e conquistar a saúde. A relação é estatisticamente inegável até para os céticos. Agora os pesquisadores buscam operar o milagre de decifra-la."

                Tendo como base o senso comum, o Instituto Nacional de Saúde dos Estados Unidos, nas Universidades de Lowa, Duke e Stanford foram tabulados dados de 42 pesquisas científicas sobre medicina e espiritualidade, acompanhando informações sobre a saúde e o comportamento de 125.826 cidadãos. Os resultados segundo L. Oliveira foram os seguintes : " Vive 29% mais quem vai à missa ou à sinagoga regularmente ou, ainda, freqüenta o templo budista, a mesquita ou Sociedades Espíritas. A religião, para os cientistas, não importa. O diferencial é praticá-la, acreditando em um ser supremo bom e protetor."

                Na Revista saúde, em uma matéria sobre espiritualidade, assinada por Alexandre Praça, descreve estudo realizado pela Universidade de Louisiana, nos Estados Unidos, com 1.261 adolescentes e concluiu que nesta fase de dificuldades de aceitação, os jovens religiosos praticantes, tinham uma melhor aceitação de si mesmos (Praça, 2001). Ainda o mesmo estudo afirma que, os resultados revelam que a maioria dos entrevistados que possuíam boa aceitação de sua imagem, participavam de movimentos religiosos. A explicação segundo Praça é que : " De acordo com os especialistas, a explicação para o fenômeno pode estar nos valores positivos transmitidos pela Religião. A convivência com os amigos e a família, incentivada por grupos religiosos, é importante para aliviar os conflitos comuns dessa idade, confirma a psicóloga Eliana Aversa Lopes, da Universidade Federal de São Paulo."

                Foi obtido da 108ª Convenção Anual da Associação Psicológica Americana, realizada em Washington, de 04 a 08 de agosto de 2000, Site :
www.emedix.com.br/not2000/00ago07apa-rfa-religiao.shtml , tema : Fé Religiosa e Espiritualidade ( FRE ) na Recuperação de Viciados, um estudo indicando que níveis elevados de fé religiosa e espiritualidade estão associados a vários resultados positivos da saúde mental de pessoas que estão se recuperando do abuso de substâncias, incluindo-se mais otimismo sobre a vida e maior maleabilidade com relação ao estresse, o que pode contribuir para o processo de recuperação. Essa pesquisa envolveu 236 pessoas que se recuperavam do vício em álcool e/ou drogas, representando o maior estudo deste tipo até então conduzido.

                " Resultados do estudo conduzido por Dustin A. Pardini, M.A., da universidade do Alabama, Thomas G. Plante, Ph.D., da Universidade de Santa Clara e por outros colaboradores, indicam que maior fé religiosa e espiritualidade estão associados a uma melhor forma de enfrentar o problema, maior maleabilidade ao estresse, orientação otimista da vida, maior apoio social e menores níveis de ansiedade" ( FRE ).

                Na mesma fonte encontra-se que, as descobertas são similares a estudos prévios que indicavam que pessoas em recuperação do abuso de substâncias dão maior importância à reza, à crença em Deus e a um maior senso de fé. As descobertas também se assemelham aos resultados de estudos que examinaram a relação entre a religião e a saúde mental. Tais estudos reportaram maior habilidade de lidar com a situação e maior maleabilidade ao estresse, com maior satisfação em relação à vida ( FRE).

                A pesquisa sugere que a espiritualidade contribui para uma perspectiva mais otimista da vida ao passo que atos de fé religiosa agem como amortecedores do estresse. Contudo, o conceito de espiritualidade e a forma pela qual difere da religiosidade ainda são vagos. Espera-se que os resultados do estudo levem a uma maior cooperação entre os membros de organizações religiosas e profissionais da saúde mental e de outros campos médicos ( FRE ).

                Na reportagem de L.Oliveira, Revista Saúde (2001), encontra-se que os estudos científicos ligados à fé foram acima de 700 nas duas últimas décadas, 212 delas de 1999 para cá. Em um levantamento concluído no primeiro semestre de 2001 pela universidade de Georgetown, em Washitgton, dois terços dos trabalhos apontam o resultado benéfico da fé sobre a saúde dos indivíduos. Dentro do exposto por Lúcia Oliveira (2001), O Psiquiatra Harold Koening, considerado um dos expoentes mundiais na área, afirma que existe uma diferença que deve ficar clara em suas pesquisas : " A gente não quer provar se ocorrem milagres ou discutir se há cura simplesmente pela fé, o que se busca é conhecer melhor os efeitos da fé no organismo. E, de fato, eles aparecem bastante positivos."

                A mesma autora complementa sua análise trazendo a palavra de vários especialistas, como a opinião do especialista em Medicina comportamental José Roberto Leite, professor da Universidade Federal de São Paulo que afirma que o fato comprovado pelos colegas americanos de que quem tem fé tem 50% menos chances de ser hospitalizados é devido, em grande parte, pelo fato de que essas pessoas geralmente levam uma vida mais tranqüila correndo menos riscos e evitando a bebida e as drogas. E ainda sobre outra ótica, o professor Herbert Benson, da Universidade Harvard, notório estudioso do território onde convivem Medicina e religião, relata que uma preocupação faz com que se libere neurotransmissores responsáveis pelo estresse, que afetam negativamente o sistema imunológico. Ao sentir-se protegido por uma força superior, o corpo produza outras moléculas, como a endorfina, a serotonina e uma série de mensageiros nervosos que aliviam dores, relaxam e dão sensação de otimismo e de bem-estar. Ao tratar do tema diante da visão do paciente de que a fé seja encarada como remédio, a autora relata a preocupação de médicos que afirmam que a fé não surtirá efeitos se o espírito dos pacientes não se convencerem o corpo jamais será enganado. Padre Antônio Maria se manifesta na mesma fonte, afirmando que Deus cura e que a igreja dá a isso muita importância, tanto que para que uma pessoa seja considerada beata ou santa é preciso que seja atribuído a ela algum milagre. Mas Lúcia Oliveira (2001) alerta que " há o perigo de que a doença seja considerada castigo divino. Existe gente que mantém um ótimo relacionamento com Deus mas nem por isso goza de excelente saúde."

                A autora da matéria salienta que : " Sempre vem à tona questões dessa natureza. Mas não causam tanto constrangimento quanto o estudo de médicos do Hospital Saint Luke, no Kansas. Eles selecionaram pacientes de UTI em estado grave e deram seus nomes e suas fotos a alguns grupos de oração. A incidência de recuperação entre os doentes que foram alvo das preces foi 10% maior. Experiências com aidéticos têm resultados semelhantes. E, aí, ninguém pode falar em auto-sugestão. Só resta à ciência registrar os episódios e entregar a Deus."

                Acrescenta Oliveira (2001): "quando você ora, não é só a alma que sai ganhando – Deus, o tema, está cada vez mais nas alturas na contagem das pesquisas médicas americanas."

                Ressalta Bolsanello, ( Análise do Comportamento Humano em Psicologia, Ed. Educacional Br. 1986, p. 766 ) : " Existe uma crença que diz que as pessoas ao envelhecerem ficam mais religiosas, porém isso não está comprovado, pois a maioria das pessoas idosas mantém suas convicções religiosas formadas em épocas anteriores."



2. A ascensão da Espiritualidade


                Um dos mais promissores "bebês" das culturas emergentes é sua Espiritualidade. Isso não significa necessariamente adesão a uma religião formal ou Igreja organizada; pode ser também uma atitude interior, uma busca de identidade pessoal e significado na vida. A espiritualidade, ao contrário da religião, é uma questão de foro íntimo, ligada ao relacionamento do indivíduo com o cosmos. Ao contrário da religião, a espiritualidade não exige um local específico para seu exercício, nem exige sacerdotes. Seu templo é a mente do indivíduo; seu altar é o estado de consciência que surge com a prece e a meditação profunda.

                Infelizmente, com o passar do tempo grande parte da substância original da experiência religiosa se evaporou, deixando algumas religiões organizadas com uma concha vazia de doutrinas e rituais. O acesso direto a uma realidade mais elevada tende a ficar reservado aos sacerdotes, mediadores autorizados entre a sociedade e o divino. Ainda existem monges e outros membros do sacerdócio ordenado que se envolvem em práticas que conduzem a estados não-ordinários de consciência: jejuns, preces intensas e meditação profunda. Mas, como observou Stanislav Grof, se um leigo tiver uma experiência religiosa real em alguma das Igrejas de hoje, é provável que o sacerdote o encaminhe para um psiquiatra.

                A ascensão da espiritualidade na sociedade dos dias de hoje não se limita às culturas emergentes; ela também invade os salões consagrados da educação superior. Harvard e outras grandes escolas de medicina estão dando cursos sobre a espiritualidade na prática médica; escolas de administração de empresas de primeira linha estão oferecendo seminários sobre a espiritualidade nos negócios. Organizações filantrópicas como a Fundação John Templeton financiam pesquisas, publicações, simpósios e programas que conciliam ciência, medicina e espiritualidade. Instituições de vanguarda, como o Instituto de Estudos Integrais da Califórnia e o Schumacher College, da Inglaterra, dedicam programas inteiros à tradição espiritual e seu papel na ciência e na sociedade; algumas instituições recém-fundadas, como o Canonbury Masonic Research Centre, dedicam-se totalmente ao estudo da tradição mística, não como fato histórico ou curiosidade antropológica, mas como uma força viva com relevância direta para a sociedade.

Fonte : Laszlo, Ervin, Macrotransição, O desafio para o terceiro milênio.



3. Por que a Espiritualidade cura ?


                Um médico receitando 20 minutos de meditação, duas vezes ao dia, para combater a hipertensão, por exemplo. É isso que faz o doutor Herbert Benson, pesquisador e fundador-presidente do Instituto Mente/Corpo da Faculdade de Medicina da Universidade de Harvard, em Boston, nos Estados Unidos.

                Há mais de três décadas, ele realiza estudos em laboratório e vem comprovando que aquietar a mente é um hábito poderoso na prevenção e no combate de problemas como insônia, tensão pré-menstrual, infertilidade e hipertensão. Além disso, alivia os efeitos de doenças crônicas e tratamentos químicos fortes, como o de câncer.

                O doutor Benson concluiu que de 60 a 90% das doenças podem ser curadas pela mente. Ele é autor de sete livros sobre o assunto, como Medicina Espiritual (ed. Campus) e o best seller The Relaxation Response (não traduzido para o português), que já vendeu mais de 4 milhões de exemplares.

                Em julho passado, no II Congresso Internacional de Stress, organizado pela ISMA-BR (International Stress Management), em Porto Alegre, ele falou sobre medicina e espiritualidade.


Repórter – Como a espiritualidade pode trazer benefícios para a saúde ?

Herbert Benson – Sempre digo que há um tripé que sustenta a cura: os medicamentos, a cirurgia e a espiritualidade. Cada um deles tem seu peso, sendo que o hábito diário da prática da meditação corresponde de 60 a 90%. O resto é efeito da medicação ou, caso seja necessário, da cirurgia. Como médico, não receito para meus pacientes apenas a meditação, pois os recursos da medicina nãopodem ser desprezados.


Repórter – Por que, então, o senhor pesquisa a espiritualidade ?

HB – Pesquiso os efeitos da espiritualidade na cura de doenças há 35 anos e comecei estudando a relação entre o estresse e a hipertensão. Primeiro fiz experimentos com macacos. Porém, na época, recebi uma proposta de estudar os efeitos físicos da meditação em um grupo de praticantes assíduos. Essas pessoas não tinham problemas de pressão alta e diziam que isso estava relacionado à meditação. Foi então que realmente estabeleci a conexão entre corpo e mente.


Repórter – O que o senhor notou no corpo dessas pessoas ?

HB – Percebi que durante a prática há a diminuição da pressão arterial, da freqüência cardíaca e do ritmo respiratório. Tentei, então, descobrir o que provocava isso. E são dois os componentes básicos capazes de causar essas reações: a repetição de palavras e a capacidade de deixar os pensamentos de lado. Como parte do estudo, pesquisei os estados meditativos ao longo da história e nas diferentes religiões e esse efeito estava presente no cristianismo, no judaísmo e no budismo.


Repórter – Qualquer tipo de meditação traz benefícios ?

HB – Meditação é deixar a mente livre de pensamentos. E isso é geralmente conseguido pela repetição de palavras. Quando um católico reza um terço, por exemplo, ele está meditando. Não importa o que está dizendo, desde que aquela palavra tenha um significado importante para ele. Pode ser paz, amor, aleluia, shalom, um mantra (os sons sagrados orientais). Os pacientes que escolhem repetir palavras ou expressões relacionadas com suas crenças religiosas têm maior probabilidade de meditar continuamente e melhores resultados fisiológicos do que aqueles que escolhem palavras indiferentes, sem um significado particular. E existem técnicas orientais que também causam as mesmas mudanças físicas, como ioga, tai chi chuan, chi kun e a dança.


Repórter – Meditar ajuda no processo de cura e prevenção de quais doenças ?

HB – As que apresentam melhor resposta ao relaxamento são hipertensão, problemas cardíacos, insônia, calorões da menopausa e toda forma de dor, inclusive as crônicas. Nesses casos, meditar ajuda a suportar melhor os desconfortos.


Repórter – E a infertilidade ?

HB – Problemas de infertilidade, causados por estresse e ansiedade, melhoram 50% depois da prática diária do relaxamento e 59% das mulheres têm diminuição dos sintomas de TPM (tensão pré-menstrual). Mas é preciso lembrar que não se deve abandonar os medicamentos, independentemente do problema de saúde. Quem pratica as várias formas de meditação deve, sim, avisar seu médico.


Repórter – Por que ?

HB – Se a prática é diária, as doses do medicamento precisam ser diminuídas. Caso contrário, passa-se a ter efeitos colaterais causados pelo excesso de remédios. Por exemplo, em quem é hipertenso, toma medicação e começa a meditar todo dia, a pressão arterial vai cair naturalmente. Assim, as doses dos remédios devem ser reduzidas aos poucos, com a orientação do especialista, até que a pressão se normalize. Percebo que, em males como a Aids ou o câncer, a meditação ajuda a suportar melhor os efeitos colaterais dos tratamentos. Ou seja, há uma melhora na qualidade de vida desses pacientes.


Repórter – A fé interfere na cura ?

HB – Defendo uma medicina unificada de corpo, mente e espírito. Se a fé não fosse importante, como você explicaria o efeito placebo? Pesquisas demonstram que uma pílula com açúcar dada em laboratório tem resultados positivos em 90% das pessoas com problemas de depressão e ansiedade. Isso é o que chamo de fator fé.


Repórter – E a fé religiosa, ela conta pontos para a saúde ?

HB – Estudos comparativos de grupos religiosos e não religiosos constataram: quem é mais religioso é mais saudável, independentemente da alimentação ou da atividade física. Isso também independe da religião. Um católico, por exemplo, que reza todos os dias e acredita em sua crença produz os mesmos efeitos benéficos para o organismo que um budista, que medita diariamente. O importante é a resposta que o relaxamento causa no organismo. Pode ser com meditação, rezando terço, com ioga.


Repórter – Existe uma idade certa para começar a praticar ?

HB – Crianças a partir de 5 anos já podem ser iniciadas. Estudos feitos em Harvard demonstram que isso reduz a ansiedade, facilita a concentração, a capacidade de aprender e de ter notas melhores na escola em comparação a garotos que não meditam.


Repórter – É preciso meditar todos os dias ? Quanto tempo ?

HB – Para obter uma resposta eficaz, deve-se praticar uma ou duas vezes por dia, de dez a 20 minutos, cada vez. As alterações fisiológicas causadas pela meditação duram 24 horas, e isso faz também com que o praticante se torne mais resistente ao estresse e às doenças causadas por ele. O ideal é meditar de manhã, ao acordar (antes do café da manhã), e no final da tarde.

Reportagem : Ana Holanda. Fundação Espírita André Luiz.



4. O Código Internacional de Doenças e Terapêutica Espiritual

Dr. Sérgio Felipe de Oliveira


                Objetivamos neste breve texto trabalhar alguns interessantes tópicos para reflexão sobre as curas espirituais. Ressaltamos aqui uma importante abertura da medicina acadêmica para as questões espirituais. No DSM IV, que é o mais importante manual de estatística de distúrbios mentais (Associação Americana de Psiquiatria), tendo sua terminologia e conceitos utilizados pela Organização Mundial de Saúde, há um alerta, em sua introdução, para a possibilidade de as manifestações de ver e ouvir espíritos de parentes mortos não serem necessariamente alucinação ou qualquer manifestação psicótica. O clínico deve ser cuidadoso, segundo o DSM IV, quando, ao abordar pacientes de comunidades de determinadas culturas religiosas, observar que o fato mencionado acima não está ligado a qualquer processo patológico. É uma primeira abertura para que a mediunidade possa ser entendida como função psíquica.

                A possibilidade de interferência de um mundo espiritual nos processos de cura ou doença é fenômeno cuja visualização científica permeia a raridade. Tanto a doença como a cura são processos de conquista diária, e no caso de cura, árdua luta que leva tempo. Nesse caso, apenas no momento em que a pessoa se faz merecedora é que advém a cura (lei de ação e reação espiritista). Essa cura está centrada na transformação do espírito em direção a determinados valores como a fraternidade, a humildade, o perdão, o trabalho e o amor. Às vezes, com a alteração e as dificuldades orgânicas é que o espírito conquista esses atributos internos, atestados de boa saúde. No sofrimento da dor, na disciplina em relação aos cuidados do corpo, a higiene e a medicação necessária, vamos aprendendo a nos amar, base para podermos amar os semelhantes ("ama teu próximo como a ti mesmo").

                O processo de doença, assim como o norteamento terapêutico, devem ser analisados sob a ótica bio-psico-sócio-espiritual, pois são sistemas que agem em sinergia. O sistema espiritual e psíquico não é antagônico em termos de abordagem metodológica, ao sistema biológico. Assim, por exemplo, um eczema na pele pode ter sido provocado por um problema auto-imune, mas este pode ter sido desencadeado por uma neurose. Essa neurose pode ter advindo de um grave problema social e esta situação de algum distúrbio espiritual - uma obsessão, por exemplo. Note-se que não deixou de ser um eczema de causa auto-imune, que vai necessitar de medicação. Também não descartamos um diagnóstico de neurose, que complementa a compreensão do primeiro. Nem tampouco o diagnóstico de obsessão espiritual anula os demais; pelo contrário, amplifica a compreensão do problema. Não há, portanto, antagonismo entre Medicina e espiritualidade, mas uma sinergia, e o beneficiado é o paciente.

Referencias Bibliográficas : AMERICAN PSYCHIATRIC ASSOCIATION - DSM IV 4ª ed.



5. MEDINESP - Medicina e Espiritualidade sob forma de Congressos


                A MEDINESP realiza Congressos desde 1995, reunindo Médicos Espíritas Brasileiros e do exterior para definirem as bases da Medicina do 3° milênio associdas à Espiritualidade, contando com a presença de oradores convidados e apresentadores de temas livres, com a direção de cursos, seminários, inúmeros painéis e conferências. Com participações do Secretário Geral do Conselho Espírita Internacional, Presidente da Federação Espírita Brasileira, Diretores da ABRAPE - Associação Brasileira dos Psicólogos Espíritas, representantes do movimento espírita do exterior como o da Guatemala, da Argentina, da Colômbia, de Portugal, do Panamá, etc, o MEDINESP tem o objetivo de levar valores e conceitos em relação à saúde humana, acrisolando seus nobres ideais rumo à Medicina holística, que abrangerá, no 3º milênio , Corpo, Perispírito e Espírito, em perfeita integração.

                Os Cursos já abordaram temas como : O Espiritismo face à concepção de Ciência hoje, aspectos conceituais e etiológicos das doenças na visão Espírita, introdução à pesquisa, algumas idéias da Física contemporânea e a questão espiritual dos animais. Destaque para o concorrido curso ministrado pelo Dr. Sérgio Felipe de Oliveira sobre "Fenomenologia orgânica e psíquica da mediunidade", com duração de 7 horas, em 4 diferentes momentos e o tema : "Glândula Pineal: Luz, tempo e comunicação". Entre os seminários já apresentados, o INTVP - Instituto Nacional de Terapias de Vivências Passadas, apresentou um dia inteiro de informações. Destaque para o Dr. Jorge Andréa dos Santos, que apresentou as bases da discussão sobre a morte encefálica, apresentada no painel sobre a "Contribuição do Espiritismo à Medicina : Mudança de paradigma" e dissertou sobre o tema "Núcleos de potenciação, inconsciente e depressão".

                O Congresso já contou com a participação de diversos docentes e alunos universitários. Trabalho que mereceu elogios foi o da estudante de Medicina Viviane Rossi, que apresentou o tema livre "A prece como terapêutica". A conferência proferida pelo Dr. Núbor Facure, médico neuro-cirurgião e prof. emérito da cadeira de neuro-cirurgia, da UNICAMP - Universidade de Campinas foi considerada de altíssimo nível, digna de ser proferida em qualquer congresso de Medicina. Ressaltam-se os Trabalhos ativos de todos os médicos espíritas do exterior, quer apresentando temas, quer coordenando mesas. Maria de La Gracia de Ender, do Panamá, apresentou o tema "a presença do amor na mediunidade, e "terapêutica espírita nas doenças psicopatológicas", ambos dentro do painel : Contribuição do Espiritismo à Medicina - mediunidade e evolução do ser. Os médicos, Edwin Bravo, de Guatemala, já apresentou os temas "Terápia Desobsesiva" e "Los tratamientos espirituales - cirurgias e receituários" , Daniel Gomez Montanelli, da Argentina, "Uma experiência de trabalho dentro dos conceitos da medicina espírita" e Fábio Villarraga, da Colômbia, "Los siameses a la luz de la reencarnación".




Congresso Medinesp - Medicina e Espiritualidade

   O Congresso da MEDINESP, em 2003, realizado no Centro de Convenções do Anhembi em São Paulo, por exemplo, contou com a presença dos seguintes profissionais da Medicina :




1) Dra. Marlene Nobre : "Fundamentos da Medicina Espírita".

2) Dr. Sérgio Filipe : "Construindo o Paradigma Médico Espírita – Estudo da Reencarnação", "O Processo Reencarnatório normal e na clonagem.

3) Décio Iandoli : "Reencarnação e Biologia e "Casos Clínicos de Regressão de Memória : evidências à Reencarnação".

4) Júlio Peres : "Casos Clínicos de Regressão de Memória" e a "Cronogenética da Reencarnação".

5) Núbor Orlando Facure : "O Enigma da Consciência".

6) Júpiter Villoz Silveira : "O Perfil do Paciente Hipertenso, Uma Avaliação Espiritual".

7) Carlos Roberto de Souza : "Construindo o Paradigma Médico-Espírita - A Alma da Matéria ".

8) Rosemary Simões : "Um Novo Paradigma para a Psicologia. Culpa : Fonte Primária das Doenças."

9) Taciana Cristina Freitas de Lima : "As Dores da Alma"

10) José Roberto Pereira dos Santos : "O Espírito diante da Experiência de Quase Morte, da Cremação, do Coma e dos Transplantes"

11) Irvênia Di Santis Prada : "Construindo o Paradigma Médico-Espírita : O Poder do Espírito. Os Três Cérebros, Matéria Mental e Co-Criação".

12) Kátia Marabuco : "O Médico Espírita diante do paciente oncológico"

13) Ricardo Sallum : "O Médico Diante da Morte"

14) Fabio Villarraga : "Influências do Meio Ambiente Físico e Psíquico na vida prenatal do ser humano."

15) Jorge Cecílio Daher : "Integrando Espiritualidade ao Tratamento: Terapia Complementar Espírita. Parcerias Espirituais: Como sublimá-las ?"

16) Ana Catarina T. Loureiro : "O Poder Curativo da Fé."

17) Maria de La Gracia de Ender : "Auto-conhecimento e Reforma Íntima: Fonte de Saúde e Equilíbrio."

18) Marlene Nobre : "Fundamentos da Bioética Espírita."

19) Dr. Amit Goswami, PhD em Física, Professor de Física na Universidade de Oregon por 34 anos, onde desenvolveu trabalho científico pioneiro sobre a primazia da consciência. É autor do livro "O Universo Auto-Consciente", "A Janela Visionária", lançado durante o Medinesp 2003, "Physics of the Soul" e "Integral Medicine", ainda não traduzidos para o português. O Prof. Goswami dissertou sobre "Medicina Integral: Física Quântica e a Nova Ciência da Cura". Nessa palestra foi abordado a necessidade de integração dos dois atuais paradigmas da medicina, comumente conhecidos como medicina convencional (na verdade, alopatia) e medicina alternativa (medicina da mente-corpo, medicina tradicional chinesa e indiana, homeopatia etc.), que estão na moda e sobre os quais existe grande confusão. Demonstrou que, se reformularmos a medicina usando os conceitos da física quântica no âmbito da filosofia da primazia da consciência, esses dois paradigmas podem ser integrados um ao outro, fornecendo orientação adequada para uma abordagem holística da questão saúde.

20) Peter Fenwick, Médico psiquiatra britânico formado no Trinity College de Cambridge, com cursos de especialização em neurofisiologia e neuropsiquiatria no Hospital Maudsley, Londres. Responsável pela Unidade de Neuropsiquiatria e Epilepsia do Hospital de Maudsley e também por uma clinica de Londres especializada em traumatismo de crânio. Tem trabalhado em casos de crimes cometidos durante estados "automáticos" da consciência. Dedica especial interesse a experiências de quase morte, assunto de suas pesquisas nos últimos 15 anos, tendo escrito o livro "The Truth in the Light", ainda não disponível em português. A conferência do Dr. Fenwick abordou os fenômenos que acontecem no leito de morte e a experiência de quase morte, mostrando que ambos apontam para um processo espiritual no momento da morte. Para que isso seja aceito plenamente pelos meios científicos, há necessidade se ampliar o nosso entendimento a respeito da neurociência. As experiências de quase morte, amplamente estudadas por pesquisadores americanos e europeus, podem causar transformações positivas nas pessoas, fazendo aflorar sentimentos de paz, calma, júbilo, alegria e, raramente, medo. As experiências relacionadas com a aproximação da morte são descritas por parentes ou amigos do agonizante, que em alguns casos nem sabiam que a pessoa estava enferma, como uma última visita na hora da morte.

21) Dr. Harold G. Koenig, MD, MHSc. Médico formado pela Universidade da Califórnia em São Francisco, com especialização em geriatria, psiquiatria e bioestatística. Professor Associado de Medicina e de Psiquiatria, e diretor do Centro para o Estudo da Religião/Espirtualidade e Saúde da Universidade de Duke, Carolina do Norte. Autor de 24 livros e de cerca de duas dezenas de artigos e matérias sobre saúde mental, geriatria e religião. Editor de duas revistas médicas especializadas: International Journal of Psychiatry in Medicine e Research News & Opportunities in Science and Theology. Seu livro “Manual de Religião e Saúde: Revisão de um Século de Pesquisa” é considerado o mais completo tratado sobre o assunto. A conferência do Dr. Koenig, cujo título foi “Religião, Espiritualidade e Medicina: História, Pesquisa e Aplicação”, analisou a relação histórica entre religião e medicina, examinando as origens da assistência à saude, hospitais, medicina e enfermagem. Examinou a relação entre religião e saúde física em seus vários aspectos, a aplicação desse conhecimento na clínica médica e suas implicações para o futuro da medicina face ao crescente número de idosos nas populações.



Fórum Interno de Discussões :

Questões bioéticas como : Os Direitos do Embrião; Definição de Pessoa; Início da Vida; Embriões Congelados; Pílula do dia seguinte; Aborto Eugênico; Clonagem Reprodutiva e Terapêutica, Manipulações Genéticas.

Os Momentos Finais da Existência Física : Eutanásia, Ortotanásia, Distanásia, Suicídio Assistido; Tratamentos Paliativos.

Como falar a mesma Linguagem : A luta pelo concenso quanto à constituição do ser humano e à designação dos seus constituintes. Envoltórios Sutis - Corpo Mental, Perispírito (Corpo Causal e Corpo Vital); fluido cósmico universal.




INFORMAÇÕES ÚTEIS


                A exposição dos quadros do Programa Globo Repórter procurou demonstrar os principais enfoques Científicos envolvendo o Espiritismo. Outros não puderam ser mostrados. Os dados dos Médicos e Espíritas, envolvidos nessa matéria, seguem abaixo :


1) Isabel Salomão : Médium de Juiz de Fora-MG que trabalha com Curas Espirituais. Telefones: (0xx32) 3216–9616 e 3214-5538 - Comunidade Espírita Casa do Caminho de Juiz de Fora. Os atendimentos são feitos neste telefone das 14h às 18h, todos os dias.

2) Sérgio Felipe de Oliveira : Psiquiatra que faz pesquisas sobre Espiritualidade. Telefone: (0xx11) 3277-9549 - Instituto de Saúde Mental de São Paulo. E-mail: pinealmind@uol.com.br

3) Manoel Simão : Psicólogo que faz terapia de vidas passadas. Faz parte do grupo de pesquisas sobre Religião do Hospital das Clínicas de São Paulo. O Psicólogo trabalha com o Doutor Júlio Peres. Os dois fizeram pesquisa com aparelho de neuroimagem funcional e mapeamento cerebral, durante a Terapia de Regressão, com equipamento do Hospital Beneficência Portuguesa de São Paulo. Telefone: (0xx11) 288-6523 - INTVP (Instituto de Terapia de Vidas Passadas) (0xx11) 5533-4848 – Consultório.

4) Júlio Peres : Psicólogo que trabalha com Regressão e Terapia de Vidas Passadas. Telefone: (0xx11) 288-6523 - INTVP (Instituto de Terapia de Vidas Passadas).

5) Roque Marcos Savioli : Cardiologista do Incor ( Instituto do Coração de São Paulo ), Católico carismático, escreveu o livro "Os milagres que a medicina não contou". Acredita em milagres e em vida após a morte. É o Médico do paciente Sílvio Petrini Barata, que entrou em coma durante uma cirurgia e relata sua experiência. Telefone: (0xx11) 3069-5480 - Incor.

6) Carlos de Brito Imbassahy : Professor de física e pesquisador de fenômenos paranormais. Acompanhou a equipe do Globo Repórter na casa da Vidente Telma e deu depoimento sobre os fenômenos que aconteceram no local. Telefone: (0xx21) 2711-9298 .

7) Franklin Ribeiro : Psiquiatra que participa do grupo de estudos da Espiritualidade do Hospital das Clínicas de São Paulo e acompanhou a equipe do Globo Repórter em uma sessão de desobsessão na Federação Espírita de São Paulo. Telefone: (0xx11) 6959-5903 – Consultório.

8) Federação Espírita de São Paulo - Telefone : (0xx11) 3115-5544 Ramal : 255 / 3107-5544. Endereço : Rua Maria Paula 140 - Bela Vista - CEP : 01319-000 - São Paulo. Home Page: www.feesp.com.br

9) Casa do Caminho, Araxá - Minas Gerais. Telefone : (0xx34) 3662-5409. Endereço : Rua Rio Grande do Sul, 618. José Tadeu da Silva é Médium e Diretor do Hospital, onde funcionam um centro geriátrico e um psiquiátrico.



Voltar para a Página Inicial


www.000webhost.com